Edital do leilão 5G será votado por TCU em meados de agosto, diz ministro

A aprovação do texto pelo Tribunal é um dos últimos passos para que o leilão bilionário possa ocorrer.

Redação
Compartilhe esta publicação:
zf L/Getty Images
zf L/Getty Images

A tecnologia 5G promete uma série de revoluções que contribuirão para uma implementação efetiva da Indústria 4.0

Acessibilidade


O edital do leilão de frequências para o serviço de telecomunicações 5G será votado pelo TCU (Tribunal de Contas da União) em meados de agosto, afirmou hoje (14) o ministro das Comunicações, Fabio Faria.

“A área técnica vai entregar no dia 8 de agosto no gabinete do relator, antecipando em um mês e quatro dias, e o relator, que teria até 15 dias para votar, também reduziu o prazo e antecipou em cinco dias”, disse Faria a jornalistas.

LEIA MAIS: Tudo que você precisa saber sobre o 5G

“O edital será votado no TCU no dia 18 de agosto, às 10h, em uma reunião extraordinária”, disse o ministro, acrescentando que a pauta já foi agendada pela presidente da corte, ministra Ana Arraes.

A aprovação do texto do edital pelo TCU é um dos últimos passos para que o leilão bilionário possa ocorrer. Segundo Faria, após a votação pelo TCU, o edital será encaminhado para a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) em até cinco dias.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Após isso, “diante da grande interação do TCU, com Anatel e o Ministério das Comunicações, em até sete dias o edital poderá ser publicado”, disse o ministro. Segundo ele, a Anatel está trabalhando no edital do 5G há oito meses.

Com isso, a expectativa do governo é que todas as 27 capitais do país poderão estar com o serviço 5G em funcionamento até julho do próximo ano, disse o ministro. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: