Volkswagen Caminhões e Ônibus tem 58 empresas interessadas em caminhão elétrico

Divulgação
Divulgação

Segundo a Volkswagen Caminhões e Ônibus, o preço do veículo parte de R$ 780 mil e vai até R$ 980 mil

A Volkswagen Caminhões e Ônibus fez hoje (13) o lançamento comercial de seu primeiro veículo elétrico, um caminhão de entrega urbana que tem como cliente inicial a Ambev e anunciou que já possui cerca de 60 empresas interessadas no produto.

A empresa, parte do grupo Traton, tem trabalhado no veículo, chamado e-Delivery, há alguns anos em parceria com empresas como Weg, CATL, Moura, Siemens e ABB. O caminhão tem um primeiro pedido firme de 100 unidades para entrega à Ambev, de uma intenção de compra total que atinge 1.600 unidades firmada antes da pandemia.

LEIA MAIS: GM recorre a fornecedor para montagem de lote inicial de vans elétricas para Fedex

“Temos mais 58 empresas interessadas em adquirir o e-Delivery e elas estavam esperando justamente o dia de hoje, de chegada do produto no mercado para começarem a intensificar negociações conosco”, disse o vice-presidente de vendas, Ricardo Alouche, durante apresentação online.

Segundo ele, além da Ambev, a Coca-Cola Femsa fez pedido firme de 20 unidades do caminhão elétrico, que começarão a ser entregues a partir de setembro. A JBS encomendou uma unidade, para testes, disse Alouche.

O caminhão é o primeiro veículo elétrico produzido por uma grande montadora no Brasil, que atravessa atualmente uma situação de dificuldade na oferta de energia por causa do baixo nível de água nos reservatórios de hidrelétricas do país.

O presidente da companhia, Roberto Cortes, afirmou que por causa do câmbio e da ainda baixa escala de produção da tecnologia, o e-Delivery tem um preço de 2,5 vezes o valor da versão a diesel, “podendo chegar a três vezes”.

Segundo a Volkswagen Caminhões e Ônibus, o preço do veículo parte de R$ 780 mil, correspondente a uma versão 4×2 com 110 quilômetros de autonomia, a R$ 980 mil, com tração 6×2 e autonomia para até 250 quilômetros.

Porém, segundo Alouche, o investimento se paga em cinco anos por causa do custo menor da eletricidade em relação ao diesel e do nível de manutenção menor da versão elétrica em relação a de motor a combustão.

Cortes afirmou que a prioridade da Volkswagen Caminhões e Ônibus é atendimento do mercado brasileiro, mas não descartou exportações do e-Delivery para mercados latino-americanos e na Europa. Ele, porém, não fez projeções. A companhia está dedicando “boa parte” do orçamento de investimento de R$ 2 bilhões de entre este ano e 2025 para veículos elétricos.

O executivo voltou a afirmar que o próximo veículo elétrico a ser desenvolvido pela montadora será um ônibus, mas não precisou quando um primeiro modelo poderia ficar pronto.

“Estamos vendo veículos elétricos em toda a nossa a linha, mas estamos priorizando os veículos urbanos agora”, disse o executivo. Além de aplicações urbanas, a companhia tem veículos pesados e extrapesados para uso no campo ou por mineradoras, por exemplo. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).