Facebook e grupos de telecomunicações incluem mais 4 países a maior cabo submarino do mundo

Iniciativa expandirá a conectividade de internet na África mais cedo que o esperado.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Christoph Burgstedt/Getty Images

Iniciativa do projeto de construção do cabo submarino expandirá a conectividade de internet na África mais cedo que o esperado

Acessibilidade


O Facebook e um grupo de companhias africanas e globais de telecomunicações vão incorporar mais quatro países ao projeto de construção do maior cabo submarino do mundo, ampliando o empreendimento na África mais cedo que o planejado.

A conectividade de internet será expandida para as ilhas Seicheles e Comores, Angola e levada para um novo ponto em terra no sudeste da Nigéria. Esta é uma adição ao recém-anunciado prolongamento para as ilhas Canárias, afirmaram as companhias em comunicado.

VEJA TAMBÉM: Facebook e Amazon buscam aprovação dos EUA para operar cabo de dados submarino

O consórcio do projeto, chamado de 2Africa, é formado pela sul-africana MTN, GlobalConnect, Facebook, pela fornecedora de infraestrutura WIOCC, China Mobile International, Orange, pela saudita stc, Telecom Egypt e Vodafone.

As novas adições para o projeto levam o cabo 2Africa para 26 países com 35 conexões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“A maior parte da pesquisa da rota de atividade está completa. A ASN começou a fabricar o cabo e repetidores em fábricas em Calais e Greenwich para a instalação dos primeiros segmentos em 2022”, afirmaram as empresas.

O grupo espera que o cabo seja ativado até o final de 2023 e o objetivo do empreendimento é conectar África, Oriente Médio e Europa. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: