Conheça as startups mais atraentes para corporações em 2021

Ranking 100 Open Startups, desenvolvido em parceria com o inovabra, ecossistema de inovação do Bradesco, mostra também que, apesar da pandemia, a atividade de inovação aberta dobrou no último ano.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:

O ranking da 100 Open Startups é fruto de uma parceria com o inovabra, ecossistema de inovação do Bradesco (Crédito: Divulgação)

Acessibilidade


A 100 Open Startups, plataforma de conexão entre corporações e startups baseada em inovação aberta, divulga nesta quarta-feira, 27, o ranking das 100 startups mais atraentes para corporações em 2021. O levantamento é fruto de uma parceria com o inovabra, ecossistema de inovação do Bradesco. De acordo com dados da premiação, apesar da pandemia, a atividade de inovação aberta com startups dobrou no último ano. Para a edição de 2021, foram declarados 26.348 relacionamentos de open innovation entre corporações e startups, enquanto, em 2020, aconteceram 13.433 relações.

O critério do levantamento é baseado em empresas que tiveram contratos de inovação aberta com corporações. No total, foram cadastradas 18 mil startups. Em relação aos contratos de open innovation, o valor médio também aumentou, passando de R$ 140 mil, em 2020, para R$ 270 mil, em 2021, totalizando R$ 2,2 bilhões em contratos entre corporações e startups no período. No que se refere às categorias que mais fizeram inovação aberta, ou seja, que somaram mais pontos, destacam-se as startups de inteligência artificial, big data e productivity.

LEIA TAMBÉM: Ambev é a empresa que mais pratica inovação aberta no Brasil

Outro fato relevante do ranking deste ano é a renovação das startups. Dentre as premiadas de 2021, 40% são novas quando comparadas ao ranking de 2020. Além disso, 109 aparecem pela primeira vez. “Reforçamos a importância de desenvolver estatísticas, tendências, métricas e desempenho que meça o impacto da inovação aberta no Brasil. Falamos de modalidades, conceitos, contratos e critérios objetivos. Repetimos o quão importante é medir resultados, estabelecer processos e, ainda, aspectos mais abstratos, como fomentar e desenvolver o ecossistema”, comenta Bruno Rondani, CEO da 100 Open Startups.

O ranking é liderado pela Rede Parcerias, de acordo com Eduardo Hammes Torres, CEO da startup, é importante que na relação de inovação aberta existam critérios muito precisos de customização e versatilidade. “Não tem essa de pitch bonitinho ou release bem escrito em inovação aberta, é necessário considerar as exigências técnicas, de segurança, garantias e certificações que as corporações demandam”, explica.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Veja quais são as primeiras do ranking:

  • 1 – Rede Parcerias (Rio de Janeiro-RJ)

  • 2 – Gesuas (Viçosa-MG)

  • 3 – Aevo (São Paulo-SP)

  • 4 – Onfly (Belo Horizonte-MG)

  • 5 – Gofind (Joinville-SC)

1 – Rede Parcerias (Rio de Janeiro-RJ)

 

Compartilhe esta publicação: