Falta de chips afeta Apple e Samsung e causa apagão também no Brasil

Com o avanço da Internet das Coisas (IoT) e dos carros autônomos, componentes vêm se tornando ainda mais essenciais.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:

Apesar de Elon Musk acreditar que a crise dos chips termine em 2022, ainda restam muitas dúvidas sobre o período da escassez (Crédito: Getty Images)

Acessibilidade


Uma nova onda de falta de chips na indústria global de tecnologia, fruto das paralisações de produção originadas durante a pandemia, atinge os principais fabricantes de equipamentos eletrônicos no mundo. Nos últimos dias, em especial, aumentaram as notícias com questões ligadas a desabastecimento. A Apple, inclusive, teve resultados financeiros aquém das expectativas de Wall Street por causa da situação.

De acordo com Tim Cook, CEO da Apple, o terceiro trimestre registrou “restrições de oferta maiores do que o esperado”, bem como interrupções ligadas à pandemia no Sudeste Asiático. “Estamos fazendo tudo o que podemos para obter mais (chips) e aplicando contingências estratégicas para garantir que avancemos o mais rápido possível”, disse Cook.

LEIA TAMBÉM: Musk vê fim de escassez de chips em 2022 com novas fábricas de semicondutores

A Samsung também alertou ao mercado sobre o efeito na cadeia de fornecimento. A companhia sul-coreana disse que “um problema de fornecimento de componentes maior do que o esperado precisar ser monitorado”. “Há muita incerteza devido a vários problemas macro, incluindo o efeito de ‘retorno ao normal’, fornecimento de componentes e aumento de preços de matéria-prima”, disse Han Jin-man, vice-presidente executivo de negócios da Samsung.

A Volkswagen também reduziu sua previsão de entregas, diminuiu as expectativas de vendas e alertou sobre cortes de empregos, já que a escassez fez com que a montadora tivesse lucro operacional inferior ao esperado no terceiro trimestre. Os números mostram a pressão que a empresa está enfrentando enquanto tenta mudar sua produção para veículos elétricos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

LEIA TAMBÉM: Samsung negocia próxima geração de chips para direção autônoma com Tesla

“O chip é um componente que, muitas vezes, passa despercebido para o consumidor final, mas sem ele não conseguimos executar vários projetos e muitos serviços param. Cada vez mais, estarão em todas as partes, na máquina de lavar roupa, em cafeteiras, nas vending machine, equipamentos de rádio, veículos e em vários outros componentes. E essa falta vem nos afetando já faz um tempo. Neste ano de 2021, por exemplo, tivemos que adaptar muitos dos nossos projetos, tornando-os mais simples ou com menos funções por conta da situação”, explica Rodrigo Cassino, CEO da Bizsys, produtora de tecnologia e projetos especiais.

Elon Musk, da Tesla, já se pronunciou sobre a falta de chips. De acordo com ele, o investimento em novas fábricas deve encurtar a escassez global que atingiu a indústria automotiva neste ano.

Compartilhe esta publicação: