Apple fecha lojas em Nova York por aumento de casos de Covid-19

No início deste mês, a empresa havia fechado temporariamente três lojas nos EUA e Canadá, após aumento nos casos da doença e propagação entre os funcionários .

Da Reuters
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A Apple confirmou, na segunda-feira, (27), que fechou todas as suas 12 lojas na cidade de Nova York, à medida que casos da variante Ômicron do coronavírus aumentam nos Estados Unidos. Ainda assim, os clientes poderão retirar os pedidos realizados online nas lojas, disse um porta-voz da empresa. As lojas afetadas incluem pontos de venda na Quinta Avenida, Grand Central e SoHo. No início deste mês, a Apple fechou temporariamente três lojas nos EUA e Canadá, após aumento nos casos de Covid-19 e propagação entre os funcionários. Pelo mesmo motivo, a Apple também determinou que todos os seus clientes e funcionários usassem máscaras em suas lojas nos EUA. Globalmente, as preocupações com a variante Ômicron levaram algumas das maiores empresas do mundo a restringir seus protocolos sanitários.

LEIA TAMBÉM: Amazon, Meta e Twitter desistem de comparecer a evento de tecnologia CES por temor com Ômicron

A Amazon, a Meta, o Twitter e o Pinterest não enviarão equipes para a CES (Consumer Electronics Show) em Las Vegas, conforme crescem as preocupações com a variante Ômicron do coronavírus, disseram as empresas na terça-feira passada. A Amazon e sua unidade de casa inteligente, Ring, disseram que não estarão presentes in loco no evento, que ocorre no próximo mês, devido à “situação de rápida mudança e incerteza em torno da variante Ômicron”, disse um porta-voz da empresa à Reuters por e-mail. A decisão da Amazon e da Ring de não comparecer presencialmente ao evento foi relatada inicialmente pela Bloomberg News.

Compartilhe esta publicação: