Depois de cumprir parcialmete ordem judicial, Telegram pode sair do ar em 24 horas

Pavel Durov, fundador do app, publicou pedido de desculpas ao Supremo e disse que iria "prestar informações sobre o cumprimento parcial das decisões".

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Suspensão do Telegram foi determinada na última sexta (18) pelo ministro do STF Alexandre de Moraes

Acessibilidade


O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, decidiu ontem (19) dar 24 horas para o Telegram cumprir integralmente as decisões da suprema corte, depois que o aplicativo informou a execução parcial das mesmas.

“Diante do exposto, intime-se a empresa Telegram para que cumpra integralmente a ordem judicial, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, iniciadas a partir da intimação pelo novo canal eletrônico por ela informado”, disse Moraes em sua decisão.

Na útlima sexta-feira (18), Moraes havia determinado a suspensão integral do Telegram no Brasil, a ser implementada em até 24 horas, a pedido da Polícia Federal, devido ao descumprimento de decisão do Supremo relativa ao bloqueio e desmonetização de contas ligadas ao blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, que é considerado hoje foragido da Justiça no inquérito que investiga milícias digitais e produção de notícias falsas.

Posteriormente, em mensagem divulgada em seu canal oficial na plataforma, Pavel Durov, fundador do Telegram, publicou pedido de desculpas endereçado ao Supremo, “além de prestar informações sobre o cumprimento parcial das decisões”, segundo o despacho de Moraes no sábado.

O Telegram é um aplicativo muito usado pelo presidente Jair Bolsonaro e seus apoiadores.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: