Raro eclipse de Lua Negra e “beijo” de planetas: os eventos do céu nesta semana

Jamie Carter
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Entre camadas de nuvens, um eclipse solar parcial é visto ao nascer do sol sobre Rice Lake, Ontário, enquanto o sol, parcialmente coberto pela lua, nasce em um lindo céu laranja acima das árvores e da água

Acessibilidade


Toda segunda-feira, escolho os destaques celestes do hemisfério norte (latitudes do meio para o norte) para a semana seguinte.

Duas conjunções incrivelmente próximas ocorrerão no próximo fim de semana envolvendo quatro dos objetos mais famosos do nosso céu – mas você precisará acordar muito cedo para um e na parte certa do mundo para o outro.

VEJA TAMBÉM: Chuva de meteoros deixados pelo cometa Halley pode ser vista até maio

Confira a seguir o que ver no céu esta semana, de amanhã até 1º de maio:

• Quarta-feira, 27 de abril de 2022: Uma conjunção próxima de Vênus, Júpiter e uma lua crescente

Stellarium

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Olhe para sudeste antes do nascer do sol e você verá uma lua crescente com 12% de iluminação logo abaixo de Júpiter e Vênus, que estarão muito próximas.

• Sexta-feira, 29 de abril de 2022: Mercúrio nas Plêiades

Olhe para o céu ocidental imediatamente após o pôr do sol e você poderá ter uma visão de uma rara conjunção do planeta Mercúrio e do brilhante aglomerado aberto, as Plêiades. É uma visão rara que deve ter fotógrafos lutando para registrar.

• Sábado, 30 de abril de 2022: Vênus encontra Júpiter e o primeiro eclipse solar de 2022

Getty Images
Getty Images

A Estação Espacial Internacional (à esquerda) e um satélite chinês (à direita) cruzando Coma Berenices

Olhe para o leste antes do nascer do sol para ver Júpiter e Vênus em uma conjunção próxima, o mais próximo que eles estarão em 2022.

Sábado também é o dia do primeiro eclipse solar de 2022, um evento parcial que verá cerca de 60% do Sol coberto por uma “Lua Negra”, apenas observável para quem estiver no Chile e na Antártida.

• Constelação da semana: Coma Berenices

Uma simples forma de L de três estrelas, Coma Berenices não é uma constelação imaginativa. Espremida entre Boötes, a Ursa Maior e a ponta da cauda de Leo, o leão, esta constelação está relativamente próxima da estrela laranja Arcturus.

A estrela mais brilhante em Coma Berenices é Beta Comae Berenices, a do meio, que está a apenas 30 anos-luz de distância. No entanto, mire um binóculo nele e você encontrará cerca de 20 estrelas brilhantes – e muitas estrelas mais escuras – que fazem parte de um aglomerado aberto chamado Coma Star Cluster ou Melotte 111.

Está a cerca de 288 anos-luz de distância, tornando-se um dos aglomerados estelares mais próximos do nosso Sistema Solar.

 

Compartilhe esta publicação: