Como o 5G já impacta a economia brasileira? CEO da Qualcomm explica

Belo Horizonte, Porto Alegre e João Pessoa são as próximas cidades a ativar a conexão nesta sexta-feira (29)

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Divulgação

Luiz Tonisi, presidente Qualcomm para América Latina: “o início das operações é um grande passo rumo a revolução tecnológica e econômica que o 5G deve promover no Brasil”

Acessibilidade


Após a estreia de Brasília operando em 5G, no início do mês de julho, é a vez de Belo Horizonte, Porto Alegre e João Pessoa ativarem o sinal nesta sexta-feira (29). A previsão é de que, gradativamente, até setembro, todas as capitais brasileiras já recebam a tecnologia.

Essa nova fase tem impacto direto na economia, nos negócios e nas dinâmicas de inovação das cidades brasileiras. Luiz Tonisi, presidente Qualcomm para América Latina, explica que o início das operações é um grande passo rumo a revolução tecnológica e econômica que o 5G deve promover no Brasil.

Leia mais: Da saúde aos games: sete setores que serão revolucionados pelo 5G

“Impactando não somente as telecomunicações, mas também a indústria 4.0, telemedicina, agronegócio, educação, entre outros segmentos. Em Brasília, as pessoas puderam ter uma primeira experiência com a capacidade de conexão e velocidade dessa tecnologia, que vai muito além do uso mais eficiente dos smartphones pessoais, que é o que ficou mais evidente nesse primeiro momento”, diz Tosini.

O executivo espera que, conforme o avanço do 5G ocorra pelo país, possam ser viabilizados uma série de soluções no campo da Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial e conectividade sem fio de altíssima velocidade e baixa latência.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Há inúmeras aplicações para o 5G, como câmeras com Inteligência Artificial e soluções de Realidade Virtual e Aumentada, que estarão presentes nas indústrias, no campo e no comércio. As casas inteligentes também serão beneficiadas, pois o 5G favorece que múltiplos aparelhos conectados funcionem de forma eficaz”, destaca.

Leia mais: O que muda com a chegada do 5G ao Brasil?

Ainda segundo Tonisi, no mercado de smartphones os consumidores já estão buscando aparelhos 5G. “Outro ponto é a transformação digital nas cidades, que já está em curso. A Qualcomm anunciou uma colaboração com a Nokia e a Juganu para a implementação de iluminação inteligente em municípios do país. Em junho, Curitiba (PR) foi a primeira cidade do país a receber as lâmpadas inteligentes, que são equipadas com uma antena 5G e tecnologia da Qualcomm. Isso permitirá aos municípios criar sua própria infraestrutura de redes 5G e oferecer conexão rápida para a população.”

“Além disso, o 5G também abrirá caminho para novas tendências sociais, como o metaverso, que combina os espaços físicos e digitais por meio de tecnologias de realidade aumentada e virtual, que devem ser possibilitadas mais facilmente graças à velocidade do 5G. A Qualcomm fornece soluções para dispositivos de realidade aumentada e virtual (XR) que são essenciais para as experiências do metaverso.”, conclui Tosini.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: