Com chegada do 5G a São Paulo, CEO da TIM prevê transição em um ano

Alberto Griselli comentou os impactos da tecnologia na maior cidade do País; Brasília, Belo Horizonte, João Pessoa e Porto Alegre foram as primeiras

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Divulgação

Alberto Griselli, CEO da TIM:  “Na nossa estratégia, decidimos lançar o 5G em São Paulo já cobrindo 100% dos bairros e chegando a 90% da população”

Acessibilidade


A maior cidade do país recebeu hoje, (4), a conexão 5G. São Paulo foi a quinta a ter o sinal ativo, depois de Brasília, Belo Horizonte, João Pessoa e Porto Alegre. A previsão é de que, gradativamente, até setembro, todas as capitais brasileiras operem em 5G.

Leia mais: Como o 5G já impacta a economia brasileira? CEO da Qualcomm explica

Essa nova fase tem impacto direto na economia, nos negócios e nas dinâmicas de inovação do Brasil. Em evento realizado em São Paulo, Alberto Griselli, CEO da TIM, falou sobre a chegada da tecnologia a São Paulo e da nova fase da estratégia da empresa. “Estamos mapeando as principais necessidades dos clientes”, disse o executivo.

“Nosso objetivo, hoje, não é anunciar o início da operação em 5G, apenas, mas mostrar uma estratégia de longo prazo com uma série de ofertas e soluções para os clientes. A tecnologia 5G é mais eficiente que 4G, na medida que cobrimos toda a cidade com 5G não é preciso investir em 4G e isso torna o cenário mais eficiente”, contextualizou Griselli. O executivo explicou que, a partir de 2023, a TIM já não ativará mais as antenas 4G em São Paulo, mas somente as de 5G.

Cobertura e estratégia

O executivo também explicou a estratégia que a companhia decidiu tomar em São Paulo. “Estamos oferecendo duas vezes a cobertura mínima que o regulador nos pede. Em São Paulo, decidimos caprichar, porque é a maior capital do Brasil e, desde o começo, o objetivo sempre foi fortalecer nossa liderança na cidade. Por isso, nossa premissa aqui é dar a maior cobertura 5G do Brasil. As 1150 antenas que temos na cidade já nos permitiam cobrir o 4G para todos os clientes em todos os lugares. Na nossa estratégia, decidimos lançar o 5G em São Paulo já cobrindo 100% dos bairros chegando a 90% da população”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Comunicação e educação

A chegada do sinal a São Paulo também demandará um esforço inédito de comunicação e marketing da operadora. “Não adianta ter essa cobertura sem comunicar corretamente aos nossos consumidores. Por isso que hoje também começamos uma campanha que se propõe a deixar claro nossa presença em 100% dos bairros de São Paulo com o 5G.”

Leia mais: Da saúde aos games: sete setores que serão revolucionados pelo 5G

Games e experiência

Outro projeto anunciado hoje pela TIM foi a oferta de um serviço adicional focado em games, o Cloud Gaming, de forma gratuita inicialmente, para que as pessoas possam experimentar a conexão em outras dinâmicas, dentre elas os games. “Estamos oferecendo uma outra experiência adicional para os clientes que querem experimentar, por exemplo, nos games. Inicialmente, essa possibilidade é gratuita e tem a intenção de levar as pessoas a experiência dessa conexão em vários aspectos.”

Preço dos aparelhos

Por fim, Griselli também comentou o desafio da média de valor dos aparelhos e ressaltou que algumas parcerias da operadora também permitirão a acessibilidade dos equipamentos. “Um outro ponto importante para a massificação da tecnologia é tornar o aparelho mais acessível. Isso fez com que desenvolvêssemos parceria para que os preços de acessos chegassem a R$ 1,6 mil, valor que se torna mais baixo do que as médias que tínhamos até então.”

A GFK, empresa especializada em pesquisas de consumo, já vinha identificando, desde janeiro, o aumento no volume de vendas de smartphones capaz de receber o sinal. De acordo com a empresa, houve um crescimento de 230% na venda dos aparelhos no período de janeiro a maio deste ano. Ainda segundo a GFK, um dos principais fatores para o crescimento do volume de vendas foi a oferta de aparelhos mais acessíveis. No primeiro semestre do ano passado, a GFK também mapeou um preço médio de R$ 5,3 mil, ou seja, apenas os top de linha vinham com a tecnologia. Já no segundo semestre do ano passado, mesmo período que ocorreu o Leilão 5G no Brasil, marcas como Samsung, Motorola, Xiaomi e Realme ampliaram o portfólio com devices mais acessíveis.

Internet das Coisas

O CEO da TIM também comentou como o 5G vai impulsionar a Internet das Coisas. O executivo ressaltou parcerias desenvolvidas com empresas como Stellantis, por exemplo, e experimentação de outros projetos no agronegócio. “Já temos vários projetos fechados de IOT com potencial muito grande. O IOT tem potencial de elevar em mais de 100 vezes as conexões humanas e, com o 5G, essa tecnologia toma uma outra proporção”, explicou.

 >> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: