Café arábica dispara em meio a bloqueios na Colômbia e temor com safra do Brasil

Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Os contratos futuros do casfé arábica na ICE avançaram quase 5%; açúcar bruto também teve alta

Os contratos futuros do café arábica negociados na ICE avançaram quase 5% ontem (18), apoiados pela interrupção dos embarques da Colômbia em meio a protestos no país e pela persistência de temores com o tamanho da atual safra brasileira. O açúcar bruto também avançou.

CAFÉ

O contrato julho do café arábica fechou em alta de 7,05 centavos de dólar, ou 4,8%, a US$ 1,528 por libra-peso, voltando a avançar em direção à máxima de quatro anos registrada no início deste mês, quando tocou a marca de US$ 1,554.

LEIA MAIS: Milho avança após nova venda para China; trigo e soja recuam

A maior parte das exportações de arábica da Colômbia permanecia bloqueada nesta semana, após protestos contra o governo do país afetarem o fluxo de bens para os portos, disse a federação colombiana de café.

A entidade estimou que cerca de 900 mil sacas de 60 kg em exportações de café estão “presas” no país em razão dos protestos.

Operadores ainda citaram preocupações com a produção de arábica do Brasil — o país, maior produtor de café do mundo, colhe uma safra afetada pela seca.

Compras técnicas também foram relatadas, à medida que o arábica rompeu importantes resistências técnicas.

O café robusta para julho avançou US$ 56, ou 3,8%, para US$ 1.515 a tonelada.

AÇÚCAR

O contrato julho do açúcar bruto fechou em alta de 0,22 centavo de dólar, ou 1,3%, a 17,21 centavos de dólar por libra-peso, recuperando-se parcialmente da queda verificada na semana passada.

Operadores disseram que, embora preocupações com a safra do Brasil persistam, os temores de uma queda no consumo estão ganhando força, especialmente na Índia, muito afetada pela Covid-19.

LEIA MAIS: Índia, maior concorrente do açúcar brasileiro, aumenta a aposta no etanol

Mas eles acrescentaram que por enquanto, diante de um ambiente macroeconômico mais positivo, os preços provavelmente tentarão se consolidar acima dos 17 centavos.

O plano do governo da Índia de aumentar a mistura de etanol à gasolina irá diminuir o excedente exportável de açúcar do país em dois a três anos, disse o presidente do conselho de uma grande companhia indiana do setor.

A produção de açúcar da União Europeia deve avançar em 800 mil toneladas em 2021/22, para 14,7 milhões de toneladas, apesar de uma queda marginal no cultivo de beterraba sacarina.

O açúcar branco para agosto avançou US$ 4,70, ou 1,0%, para US$ 457,70 a tonelada. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).