VLI firma acordo com LD para transporte ferroviário de 500 mil toneladas de celulose por ano

O início de funcionamento do transporte está previsto para o primeiro semestre de 2022 e será realizado por meio da malha da Ferrovia Centro-Atlântica.

Redação
Compartilhe esta publicação:
 Marcos Martinez Sanchez/Getty Images
Marcos Martinez Sanchez/Getty Images

Operação promovida pela VLI conectará o porto de Barra do Riacho com a nova fábrica da LD Celulose

Acessibilidade


A companhia de logística VLI anunciou hoje (24) a assinatura de um contrato com a LD Celulose para o transporte de celulose solúvel a partir de uma fábrica que será instalada em Indianópolis (MG), projetando a movimentação de 500 mil toneladas do produto por ano em direção ao porto de Barra do Riacho (ES).

O transporte será realizado por meio da malha da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), com início de funcionamento previsto para o primeiro semestre de 2022, quando a nova fábrica regular a funcionar. O contrato tem validade de 30 anos.

LEIA TAMBÉM: Marfrig compra fatia de 24% na rival BRF para diversificar investimentos

O fluxo logístico da operação terá 1,4 mil milhas, conectando diretamente ao porto de Barra do Riacho, administrado pela Portocel, com a nova fábrica da LD Celulose, joint venture formada pela austríaca Lenzing e a brasileira Duratex.

“Esta operação é uma solução sob medida para atender a LD Celulose, com a expedição de 100% da sua produção pela ferrovia … A nova fábrica será a quarta unidade industrial voltada para celulose com atendimento ferroviário VLI “, disse em nota o gerente de Desenvolvimento de Negócios da VLI, Alexandre Biller.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo a operadora logística, que possui a mineradora Vale como maior acionista, o contrato viabilizará investimentos em pátios ferroviários, terminais de origem e destino, conquistas de novas locomotivas e o desenvolvimento de uma frota de vagões específica para esta operação.

Cada será formada por três locomotivas e 68 vagões, podendo transportar cerca de 4,5 mil toneladas, disse a empresa –que, além da Vale, tem seus acionistas Brookfield, Mitsui, FI-FGTS e Brasil Port Holdings.

“Além de estarmos dentro de um maciço florestal, o que traz uma distância média muito competitiva, a Ferrovia Centro-Atlântica passa ao lado da empresa, garantindo o escoamento da produção da fábrica direta ao porto”, afirmou o presidente-executivo da LD Celulose, Luís Künzel, no comunicado. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: