EPA deve recomendar mandato de biocombustível nos EUA abaixo de 2020

Após divulgação de possível ação, os contratos futuros do óleo de soja negociados na bolsa de Chicago atingiram limite de baixa

Redação
Compartilhe esta publicação:
Tom Merton/Getty
Tom Merton/Getty

Recomendação de mandato de biocombustível abaixo de 2020 pode ser um golpe para a indústria de combustíveis renováveis

Acessibilidade


A EPA (Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos) deve recomendar à Casa Branca a redução dos mandatos de mistura de biocombustíveis da nação abaixo dos níveis de 2020, o que seria um golpe para a indústria de combustíveis renováveis, afirmaram hoje (20) duas fontes com conhecimento no assunto.

Os contratos futuros do óleo de soja negociados na bolsa de Chicago atingiram limite de baixa após a reportagem de que a EPA deve recomendar a redução.

LEIA TAMBÉM: JBS fará oferta ‘off-market’ por empresa de aquicultura Huon

Os mandatos se tornaram uma armadilha política para a administração do Biden, já que as regras normalmente colocam as refinarias de petróleo contra os agricultores e a indústria de biocombustível. Até agora, a administração teve que considerar como lidar com a definição de obrigatoriedade, em meio a uma pandemia mundial e sem irritar as partes.

Com esse plano atual, a EPA está buscando alinhar os mandatos com os níveis reais de produção, que recuaram durante a pandemia do coronavírus. Os mandatos determinam a quantidade de biocombustíveis que as refinarias de petróleo devem misturar em seus ‘mix’ de combustível.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A EPA não fez comentários para este artigo.

De acordo o Padrão de Combustível Renovável dos EUA, as refinarias de petróleo devem misturam milhões de galões de biocombustíveis no ‘mix’ de combustível ou compram créditos negociáveis, conhecidos como RINs, daqueles que misturam. As refinarias também podem aplicar para isenções dos mandatos, caso consigam provar que as obrigatoriedades as prejudicariam financeiramente.

Os mandatos para 2021 já foram adiados em mais de seis meses, devido à pandemia do coronavírus. A administração deve divulgar as propostas para 2021 e 2022 ao mesmo tempo.

Os RINs despencaram nos últimos dois dias com especulações de mercado em torno dos mandatos. Os créditos de combustível renovável (D6) foram negociados em US$ 1,42 cada hoje(20), abaixo do US$ 1,50 na sessão anterior, segundo traders. No início desta semana, os créditos estavam sendo negociados acima do US$ 1,60. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: