Exportação de milho do Brasil cai 50% em julho em meio a quebra de safra

Nacho Doce/Reuters
Nacho Doce/Reuters

Apesar da queda pela metade, houve uma melhora no ritmo de embarques do milho no final de julho

As exportações de milho do Brasil somaram 1,98 milhão de toneladas em julho, queda de 50% em relação ao mesmo período do ano anterior, mostraram dados do governo federal hoje (02), pressionadas por uma forte quebra na segunda safra do cereal após problemas climáticos.

Em julho do ano passado, o país embarcou 3,98 milhões de toneladas de milho, de acordo com a Secex (Secretaria de Comércio Exterior). No início do mês passado, reportagem da Reuters apontou que os embarques cairiam pela metade.

LEIA TAMBÉM: AgroRound: “Desafio da Pecuária Responsável” quer encontrar soluções para o bem-estar animal e premiar as boas ideias

A “safrinha” do cereal 2020/21 está em plena colheita, porém com atraso devido a um plantio tardio. Passou por seca durante o desenvolvimento em alguns dos principais Estados produtores e também por geadas.

Apesar da queda de 50% nos embarques do mês passado, ainda houve uma melhora no ritmo de exportações de milho no final de julho. Até a quarta semana, a média diária de vendas externas estava em 65,9 mil toneladas, indicando que o mês poderia fechar com perda superior a 60% ante julho de 2020 –caso a média fosse mantida até a quinta semana.

Também de acordo com os dados da Secex, as exportações de soja atingiram 8,66 milhões de toneladas, ante 9,95 milhões em julho de 2020, visto que grandes embarques da oleaginosa já foram realizados em meses anteriores neste ano. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).