Agrofintech Bipp cria aplicativo para transações financeiras e venda da produção

Ferramenta pretende auxiliar o produtor na gestão financeira da propriedade .

Redação
Compartilhe esta publicação:
SimonSkafar/GettyImages
SimonSkafar/GettyImages

Aplicativo pode ajudar o produtor na gestão da fazenda

Acessibilidade


A Bipp, agrofintech para transações de compra e venda entre produtores, fornecedores e agroindústrias, pelos empreendedores Marcus Linhares e Woshington Valdeci, acaba de lançar um aplicativo que permite a abertura de conta digital em poucos minutos.

O aplicativo permite transações financeiras como pagamento via cartão, links de pagamento e emissão de boletos. Também pode ofertar sua produção, receber propostas, comprar insumos e ter acesso a um dashboard para controle de todas as atividades no campo.

LEIA TAMBÉM: Por que os fertilizantes encarecem a produção de alimentos

Atualmente, a agrofinteh possui cerca de 350 usuários ativos e 80 clientes em 22 estados. Até o final do ano e início de 2022, a expectativa é atingir outros 200 novos clientes, mais de dois mil usuários e mil novas contas abertas. A previsão é transacionar pelo menos R$ 8 milhões.

De acordo com Marcus Linhares, CEO da Bipp, a digitalização no campo já é uma realidade há anos, mas ainda há espaços para integração e conexão de todas as relações de compra, venda e meios de pagamentos nas mais diversas plataformas, sejam elas via web, mobile ou marketplace. “Nosso app oferece aos usuários a oportunidade de ampliar as vendas, a partir do momento que o produtor passa a se relacionar com compradores de todo Brasil sem intermediários”, diz ele.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O acesso ao aplicativo está nas lojas Google e Apple, com pagamento apenas de taxas das transações. “Os valores variam de acordo com os serviços. No caso de boleto, não cobramos pela emissão, nem cancelamento e alterações, apenas na compensação. No caso de vendas por cartões, o usuário paga as taxas normais das bandeiras de cartão de crédito”, diz Linhares.

Compartilhe esta publicação: