AgroRound: Abrapa, Biotrop, Boa Safra, Nespresso, Marfrig e outras notícias do campo

Confira as campanhas, plataformas digitais, parcerias, estimativas de mercado e inaugurações que marcaram o setor.

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Dia Mundial do Algodão (7), a Abrapa (Associação Brasileira dos Produtores de Algodão), e as marcas de roupas Reserva, do grupo AR&CO, e Renner, lançou o inédito programa Sou ABR (Algodão Brasileiro Responsável). O objetivo é informar os consumidores sobre a origem certificada do algodão e o processo de produção das peça de roupa. A iniciativa faz parte do movimento Sou de Algodão.

A parceria começou a ser estruturada há cerca de um ano. A ideia é mostrar transparência na cadeia da fibra, mostrando que o algodão daquela peça tem certificação socioambiental ABR desde a origem, ou seja, está baseada nos três pilares da sustentabilidade: social, ambiental e econômico. 

LEIA TAMBÉM: Startup reúne 110 parceiros para mapear a genética do solo brasileiro em 55 culturas

O SouABR é a primeira iniciativa de rastreabilidade em larga escala na cadeia têxtil nacional. “Tudo isso armazenado graças ao blockchain. A tecnologia proporciona digitalização que torna a informação acessível e auditável em todas as etapas do processo, garantindo confiabilidade”, explica Flavio Redi, CEO da EcoTrace, consultoria responsável pelo desenvolvimento da plataforma de T.I, especialista em rastreabilidade de commodities. 

A certificação ABR possui 178 itens de verificação distribuídos em oito critérios: contrato de trabalho, proibição do trabalho infantil, proibição de trabalho análogo a escravo ou em condições degradantes ou indignas, liberdade de associação sindical, proibição de discriminação de pessoas, segurança, saúde ocupacional, meio ambiente do trabalho, desempenho ambiental e boas práticas.  

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Biotrop é finalista na Crop Science Awards 2021
Biotrop/Divulgação
A Biotrop, empresa paulista de insumos biológicos criada a pouco mais de três anos, é finalista de oito das nove categorias em que se inscreveu na premiação Crop Science Awards 2021,  destinada à indústria de insumos, evento promovido pela inglesa IHS Markit, empresa global de análises e soluções de mercado.

A competição reconhece a excelência nas indústrias de proteção de cultivos e agricultura digital em todo o mundo, destacando as melhores iniciativas científicas, tecnológicas e de liderança. A Biotrop está na final das categorias: empresa de região emergente, inovação de formulação, novo bioestimulante, novo biopesticida, novo produto ou característica de proteção de cultivos, inovação digital, colaboração da indústria e campanha de marketing.

“Para nossa jovem empresa, estar entre as finalistas nas principais categorias da premiação é um reconhecimento de que estamos no caminho certo”, diz  Antonio Carlos Zem, CEO da Biotrop. 

Ital inaugura quatro novos laboratórios 

Após um investimento de cerca de R$ 2,7 milhões do PDIP (Plano de Desenvolvimento Institucional em Pesquisa), financiado pela Fapesp, o Ital (Instituto de Tecnologia de Alimentos), em Campinas (SP), inaugurou quatro novos laboratórios em seu Centro de Ciência e Qualidade dos Alimentos.

Os laboratórios de Estudos de Voláteis, Destilação Molecular, Biotecnologia e Cultura Celular e Biologia Molecular ampliam o leque de atuação da instituição em pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor de alimentos, bebidas, ingredientes e embalagem.

“Significa muito para o Ital de hoje e para a contribuição que certamente ofereceremos para o futuro da ciência e qualidade dos alimentos”, afirmou Eloísa Garcia, diretora geral do Instituto.

Boa Safra Sementes inaugura usina fotovoltaica em Goiás
Jasmin Merdan/Getty

A Boa Safra Sementes, uma das principais produtoras de sementes de soja do Brasil, com sede em Formosa (GO), inaugurou  sua primeira usina de energia solar fotovoltaica em uma unidade de beneficiamento. 

A instalação ocorreu na unidade de Cabeceiras (GO). Com capacidade para gerar 158,6 MW/mês, o equivalente ao consumo médio suficiente para iluminar uma cidade de cerca de 3 mil habitantes, a usina responderá por 94% do total da energia utilizada pela unidade. O restante continua com energia elétrica.

“Estamos evoluindo em nossa gestão sustentável, buscando ser uma companhia que gera cada vez menos impacto ao meio ambiente”, afirma Marino Colpo, CEO e um dos fundadores da Boa Safra. A usina conta com 3.570 módulos fotovoltaicos e potência unitária de 445Wp, 15 inversores solares com 66kW de potência, ocupando uma área de aproximadamente 17.000m².

Nespresso cria plataforma digital para profissionais do varejo

Investindo na formação de novos talentos, a Nespresso, marca que pertence à multinacional suíça Nestlé, anunciou o lançamento da plataforma digital “Nespresso Academy”. Por meio de um app com conteúdos como podcasts, vídeos e testes, a empresa de bebidas espera desenvolver profissionais do varejo que atuam na comercialização de produtos da marca.

“Dentre os 54 países em que a Nespresso está presente, o Brasil é o primeiro a desenvolver uma plataforma como essa para os colaboradores do trade. E a expectativa é que esse seja apenas a primeira das iniciativas de transformação digital que devem compor a trilha de gestão de conhecimento traçada pela unidade de treinamentos, considerada por nós uma ferramenta estratégica para a conversão em vendas”, conta Gabriel Nobre, diretor comercial B2C da Nespresso no Brasil. “Estamos investindo em inovação e digitalização para manter a excelência, qualidade e padronização do atendimento da Nespresso”.

John Deere Brasil lança programa de vantagens 

A John Deere, multinacional norte-americana de máquinas agrícolas, lançou o “John Deere Fidelidade”, um programa de pontuação e relacionamento no qual a compra de peças e a realização de serviços nos concessionários da companhia viram moedas que podem ser convertidas em itens de pós-venda, serviços especializados, experiências exclusivas e treinamentos. Até novembro, o programa contará com 32 concessionárias, em todas as regiões do país

“Criamos um programa pioneiro que oferece um grande ecossistema de benefícios. Queremos nos conectar ainda mais aos clientes, reforçando o relacionamento e oferecendo experiências significativas e personalizadas”, diz Davi Fortuna, coordenador de marketing de pós-venda da John Deere Brasil.

O programa foi desenvolvido em parceria com a Seedz, startup mineira criadora do primeiro programa de vantagens com múltiplos parceiros do agronegócio. 

Minerva Foods alcança 100% de conformidade socioambiental

A Minerva Foods, uma das principais indústrias de processamento de carne bovina, alcançou 100% de conformidade socioambiental conforme o TAC (Termo de Ajuste de Conduta). O marco foi confirmado após auditoria supervisionada pelo MPF (Ministério Público Federal), em parceria com a ONG Amigos da Terra.

Os compromissos do TAC adotados se referem a não comercialização de bovinos provenientes de áreas com desmatamento ilegal, grilagem, trabalho escravo, invasões a unidades de conservação e a terras indígenas e quilombolas, ou sem regularização ambiental ou fundiária. 

“O resultado da principal auditoria sobre o combate ao desmatamento ilegal na Amazônia mostra que estamos no caminho certo, contribuindo para a pecuária verde, com o compromisso de engajar a cadeia nessa trajetória”, afirma Taciano Custódio, diretor de sustentabilidade da Minerva Foods.

Produção de algodão deve crescer 15,5% no Brasil em 2021/22

Lucas Ninno/Getty

 A Safras & Mercado estima que a produção brasileira de algodão em pluma na safra 2021/22, que logo mais começa a ser plantada, deverá crescer 15,5% na comparação com a safra anterior, passando de 2,38 milhões para 2,75 milhões de toneladas. 

A área deverá ocupar 1,535 milhão de hectares, aumentando 11,8% sobre o plantio anterior de 1,373 milhão. A produtividade deverá subir 3,35%, aumentando de 1.734 quilos para 1.792 quilos por hectare.

“O recente movimento de alta das cotações do algodão fez com que os produtores aumentassem suas apostas no cultivo da cultura. Na primeira intenção de plantio, realizada no final do último mês de julho, os números mostravam um recuo da área pelo segundo ano consecutivo, diante da forte concorrência dos grãos, cuja margem de rentabilidade era mais atrativa”, explica Élcio Bento, analista e consultor.

Contudo, da primeira intenção de plantio até o início do mês de outubro, os preços da pluma se elevaram em mais de 20%. “Essa escalada das cotações nacionais foi sustentada pela recuperação dos preços internacionais e pela alta do dólar, que melhoram a competitividade do produto brasileiro numa temporada em que a produção é cerca de 650 mil toneladas inferior à da safra passada”, acrescenta Bento.

 Mercur e Bossapack lançam linha baseada em conhecimentos indígenas

A Mercur, empresa de produtos para educação e saúde, desde 2010 mantém relacionamento com populações tradicionais e originárias da Terra do Meio, em Altamira, PA, por meio do projeto Borracha Nativa, que incentiva a reconstrução da cadeia sustentável da borracha. Uma das iniciativas ocorre com os indígenas Xipaya para a produção do tecido encauchado, que consiste na aplicação de látex.

Agora, em uma parceria com a Bossapack, marca carioca de bolsas, a Mercur lança uma linha de produtos impermeáveis com o nome Ipá Tiá (leite da árvore, ou látex). As bolsas, carteiras e mochilas são produzidas com tecido 100% algodão encauchado, Na parceria, a Bossapack fornece o tecido de algodão cru e recebe das comunidades indígenas o mesmo tecido impermeabilizado e colorido com os pigmentos naturais produzidos a partir de urucum e jenipapo.

Gran Coffee expande negócios com máquinas expressas

 A Gran Coffe, empresa de bebidas e outros produtos alimentícios, com sede em Campinas (SP), anunciou uma nova etapa da sua expansão de negócios: a comercialização de máquinas expressas.

Com o nome de “Gran Coffe Express”, a máquina funciona como uma loja autônoma para o serviço ao consumidor. “O conceito é uma ótima opção de atendimento para as empresas nesse retorno dos times de colaboradores aos escritórios”, conta Gustavo Gama, sócio-diretor da Gran Coffee. “Investimos neste modelo de negócio e pretendemos abrir mais de 200 unidades até 2022.”

Em quatro tamanhos – Nano, P, M e G – as máquinas vão oferecer bebidas como chás, águas, sucos e energéticos, snacks saudáveis, salgados, barras de cereais e bebidas quentes, como chocolate e capuccino. 

Safra de amendoim deve ser maior em 2021/22 

Em novo levantamento, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) afirma que a safra 2021/22 de amendoim em São Paulo, maior produtor do país, está estimada em 589,2 mil toneladas. O volume representa um aumento de 4,9% em relação à temporada anterior. 

A estimativa de área plantada também apresenta crescimento, fechando o ciclo em 159,8 mil hectares (+4,2%). O cultivo ocorre em dois períodos distintos, com a primeira safra semeada entre outubro e dezembro e a segunda safra com o plantio previsto entre janeiro e março. A produtividade se mantém quase estável quando comparada à safra anterior, com 3.687 quilos por hectare.

 Os principais polos de cultivo são as regiões da Alta Mogiana (Ribeirão Preto, Dumont, Jaboticabal e Sertãozinho) e Alta Paulista (Tupã e Marília). O cultivo é conduzido, principalmente, em rotação com cana-de-açúcar e pastagens.

Duas startups brasileiras são finalistas no Glocal AgriFoodTech Latam

 

As startups Agrolend, com foco na concessão de crédito para produtores rurais, e Muda Meu Mundo, plataforma que conecta o pequeno produtor com o varejo, foram escolhidas para participar do programa Glocal AgriFoodTech Latam, que consiste em mentoria e uma rede de apoio durante no decorrer do programa de aceleração. O objetivo é aprimorar a implementação de conceitos inovadores em diferentes estágios das startups

A Glocal, primeira aceleradora latino-americana para startups e médias empresas do agronegócio, que conta com a parceria da Agrofy, maior marketplace do agronegócio brasileiro, anunciou um total de dez  startups para participar da iniciativa. “Ficamos muito felizes em ver que o Brasil está presente entre os finalistas”, afirma Bernardo Miles, fundador da Glocal. “O Brasil tem grande potencial de startups com foco no agronegócio, mas elas dependem dessa aceleração.” Apesar da presença entre os finalistas, o número de startups brasileiras inscritas no programa foi pequeno. De mais de 400 de toda América, apenas 50 eram brasileiras, cerca de 12%.

 

Compartilhe esta publicação: