Raízen faz acordo de R$ 318 milhões com Gera e avança em geração distribuída de energia

Com a aquisição, a empresa do setor de açúcar e etanol incorpora 350 MW de geração distribuída à sua capacidade.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Com a aquisição, a Raízen incorpora 350 MW de geração distribuída à sua capacidade

Acessibilidade


A Raízen anunciou hoje (7) a aquisição de ativos de geração de energia do Grupo Gera, que atua com projetos de geração distribuída no Brasil, em movimento para ampliar o portfólio em renováveis.

O acordo, que foi fechado por cerca de R$ 318 milhões, também inclui a criação de joint venture da Raízen com o Gera na área de desenvolvimento de novos ativos de energia e também em soluções e inovações.

LEIA TAMBÉM: Fundação Bunge anuncia ganhadores de seu prêmio na edição 2021

Com a aquisição, a gigante do setor de açúcar e etanol incorpora 350 MW de geração distribuída à sua capacidade de 1,3 GW, que hoje é predominantemente a partir de cogeração de energia de biomassa de cana-de-açúcar.

“Esse é um caminho de crescimento, esse é um mercado que a gente acredita que vai crescer, pode-se esperar mais M&As (fusões e aquisições), pode-se esperar mais aportes…”, disse o presidente-executivo da Raízen, Ricardo Mussa, em entrevista à Reuters.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O executivo da Raízen, que também é uma das maiores distribuidoras de combustíveis do país, destacou que a empresa incorpora novas fontes para atender ao mercado durante o período de transição energética e em todo o país.

“Quando traz o Gera para dentro, está completando o portfólio da Raízen, está indo até o cliente final, tem cliente que quer soluções, tem cliente que precisa ter fornecedor de energia no Brasil inteiro”, destacou ele.

O executivo também ressaltou que, com o negócio, a Raízen poderá aproveitar os preços do mercado livre de energia, uma vez que boa parte da eletricidade da empresa, hoje obtida pela cogeração, tem contratos com o mercado regulado.

A transação permite que a Raízen –joint venture entre a Cosan e a Shell– avance no mercado nacional de geração distribuída, agregando 15 plantas de geração, que incluem fontes de geração solar, biogás, resíduos sólidos e hidrelétricas (CGH).

A empresa também ampliará sua atuação direta para 19 Estados, servidos por 26 concessionárias.

Pelo acordo, segundo comunicado, a Raízen irá investir aproximadamente R$ 212 milhões por participações em empresas do Grupo Gera, além de fazer um aporte primário no total de R$ 106 milhões para desenvolvimento de novos negócios.

O Gera, que gerencia mais de 15.000 unidades consumidoras de energia, traz para a parceria uma plataforma de soluções de energia inovadora focadas em redução de custos e eficiência energética para clientes corporativos e consumidores finais. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: