10 documentários para aprender mais sobre o agronegócio

Produções ensinam sobre diferentes componentes da vida no campo.

Erich Mafra
Compartilhe esta publicação:
Geber86/Gettyimages
Geber86/Gettyimages

Conheça 10 produções que ensinam sobre diferentes partes da vida no campo

Acessibilidade


Nos próximos três dias, o país desacelera um pouco para o final de semana e o feriado da Proclamação da República (15). Aproveitando então, nada melhor do que juntar a família para um sofá com pipoca, que aliás é agro, e aprender mais sobre a produção de alimentos. Em tempo: você sabia que cultivar pipoca é uma agricultura refinadíssima em tratos e  manejo do solo, e que o Brasil é o segundo maior produtor do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos?

Sem dúvida, para os seus pares e uma sociedade cada vez mais conectada com o alimento que consome, o agronegócio é um dos setores mais importantes no Brasil e no mundo. Segundo um estudo da Embrapa, divulgado em agosto, cerca de 800 milhões de pessoas no planeta desfrutam do que se cultiva aqui. Fora isso, o agro também vive um momento de reinvenção, em que se torna mais digital e sustentável por meio de novos conceitos e tecnologias que vêm se tornando cada vez mais populares. 

LEIA TAMBÉM: Conheça 14 executivos brasileiros que foram à COP26 buscar parcerias e compartilhar experiências

Por isso, conhecer a sua história e ter uma noção de novas tendências pode ajudar a entender melhor o futuro do alimento. Uma das ferramentas para agregar conhecimento são os documentários. Abordando diferentes áreas e tendências do campo, a Forbes Agro selecionou 10 documentários de média e longa duração que apresentam figuras importantes do setor e dados que podem trazer mais clareza sobre o que você coloca na sua mesa. Não se esqueça: pegue a pipoca e venha com a gente:

  • Quando ouvi a voz da terra

    Lançado no Youtube em 25 de outubro, “Quando ouvi a voz da terra” é uma viagem pelo Brasil para conhecer projetos nos quais o bem-estar animal e a preservação da natureza estão na ordem do dia. A narrativa é conduzida pela pecuarista Carmen Perez, da fazenda Orvalho das Flores, em Mato Grosso. Desde os 20 anos, ela se dedica à pecuária e tornou-se uma das principais porta-vozes do tema do bem-estar animal, fazendo de sua propriedade um espaço para pesquisa e aplicação de manejos nos quais os animais são tratados como seres sencientes.

    Inscreva-se para receber a nossa newsletter
    Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
    Divulgação
  • Bravos Valentes

    Recém-saído do circuito de cinemas, o documentário “Bravos Valentes” ainda não está disponível hoje (13). Mas para amanhã, domingo (14), às 23h, ele será exibido na Globonews, e a partir de 30 de novembro estará na Globoplay. O longa rodado nas regiões da Caatinga, Amazônia, Pantanal e Pampas traça o perfil de quatro vaqueiros e conta a história dessa profissão que data do século 16. O documentário também retrata como é a lida do gado em diferentes fazendas, retratando um outro universo da vida no campo.

    Divulgação/Marcia Paraíso
  • 10 bilhões – O que tem para comer?

    Disponível na plataforma Amazon Prime Video, o documentário “10 bilhões – O que tem para comer?” foi lançado em 2015. Mas continua relevante pois se baseia em um desafio real e atual da cadeia do agronegócio: como alimentar uma população mundial de 10 bilhões em 2050, data estipulada pela FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura). O documentário discute temas como carne artificial, insetos, agricultura industrial e a nova onda do autocultivo.

    Divulgação/Amazon Prime Video
  • A lei da água

    Acessível pelo canal de Youtube da produtora O2 Play Filmes, o documentário “A lei da água” esclarece e pontua algumas das principais mudanças promovidas pelo novo Código Florestal, como é conhecida a Lei de Proteção da Vegetação Nativa. Para explicar o tema, o longa, de linguagem acessível para leigos, entrevista políticos envolvidos na reformulação e importantes personalidades do agro, entre eles Blairo Maggi, agropecuarista e ex-governador de Mato Grosso. Atualmente, a necessidade de aumentar as áreas de integração lavoura-floresta-pecuária e o pagamento por serviços ambientais tornam o documentário um bom ponto de partida para avaliar temas do setor.

    Divulgação
  • Shunji Nishimura – A Jornada pessoal de um vencedor

    Disponível no canal de Youtube da Jacto, empresa familiar brasileira que desenvolve e fabrica equipamentos agrícolas, o documentário de 25 minutos “Shunji Nishimura – A Jornada pessoal de um vencedor” apresenta a história desse imigrante japonês que chegou ao Brasil em 1932. Com uma pequena oficina, utilizou o conhecimento em mecânica para aprimorar seu trabalho e desenvolver do zero uma das marcas mais importantes de máquinas agrícolas. É um documentário interessante para resgatar a memória de uma parte importante do setor e entender a evolução do negócio desde a década de 1930.

    Divulgação/Jacto
  • Vida no campo

    Para comemorar o dia do agricultor em 2016, a John Deere, marca de máquinas agrícolas, realizou uma parceria com a Embrapa e o Mapa para lançar o documentário “Vida no Campo”, longa que acompanha a história de cinco famílias que trabalham na terra. Além de mostrar diferentes rotinas, o registro mostra como os produtores rurais implementaram a integração lavoura-pecuária-floresta em suas propriedades, apresentando um modelo sustentável para o futuro da produção de alimentos.

    Reprodução/YouTube
  • A pequena grande fazenda

    Disponível na plataforma Globoplay, o documentário “A pequena grande fazenda”, mostra a vida do casal John e Molly, dois moradores da cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos, que decidem abandonar a cidade e se mudam para uma fazenda de 200 hectares. O filme acompanha o esforço do casal por um período de oito anos para transformar um solo pobre e sem sinal de vida em um ambiente funcional e com biodiversidade.

    Divulgação/Telecine
  • Ser tão velho Cerrado

    Acessado na Netflix, “Sertão velho Cerrado” traça uma linha do tempo de como se deu a entrada do homem no bioma. Com depoimentos de moradores da Chapada dos Veadeiros, do quilombo Kalunga, com ambientalistas do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) e ruralistas, o documentário também discute o papel do agronegócio no Cerrado e quais melhorias podem ser implementadas para melhorar o meio ambiente.

    Divulgação/Netflix
  • Solo Fértil

    Disponível na Netflix, o documentário “Solo Fértil” é uma opção interessante para quem já entende o básico sobre o agronegócio. Para discutir a importância da agricultura regenerativa, o longa traz depoimentos de especialistas e famosos, como Gisele Bündchen, Jason Mraz e Rosario Dawson. O objeto discutido no documentário mostra como o tratamento de solos impactados pela monocultura pode ser a chave na reversão da crise climática.

    Divulgação/Netflix
  • Robustas Amazônicos – Aroma, sabor e histórias que vêm das Matas de Rondônia

    Disponibilizado pela Embrapa este ano através de seu canal no Youtube, o documentário “Robustas Amazônicos – Aroma, sabor e histórias que vêm das Matas de Rondônia” traça o perfil da produção deste café em terroir amazônico. Para isso, conta com o depoimento de seis famílias de cafeicultores, mostrando a diversidade do negócio em Matas de Rondônia, onde 60% das áreas com lavouras de café em Rondônia se encontram.

    Embrapa/Marcos Oliveira

Quando ouvi a voz da terra

Lançado no Youtube em 25 de outubro, “Quando ouvi a voz da terra” é uma viagem pelo Brasil para conhecer projetos nos quais o bem-estar animal e a preservação da natureza estão na ordem do dia. A narrativa é conduzida pela pecuarista Carmen Perez, da fazenda Orvalho das Flores, em Mato Grosso. Desde os 20 anos, ela se dedica à pecuária e tornou-se uma das principais porta-vozes do tema do bem-estar animal, fazendo de sua propriedade um espaço para pesquisa e aplicação de manejos nos quais os animais são tratados como seres sencientes.

Compartilhe esta publicação: