JBS e DSM fazem parceria para reduzir emissões de metano na cadeia bovina

O acordo foi assinado na conferência climática COP26.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Wenderson Araujo/CNA
Wenderson Araujo/CNA

Subproduto natural da digestão em boi e outros ruminantes, o metano é uma importante fonte de emissões de gases de efeito estufa

Acessibilidade


A JBS, segunda maior companhia de alimentos do mundo, firmou parceria com a Royal DSM para implementar um projeto com a meta de reduzir a emissão de metano entérico bovino em escala mundial.

O metano, subproduto natural da digestão em boi e outros ruminantes, é uma importante fonte de emissões de gases de efeito estufa.

LEIA TAMBÉM: JBS nega que irmãos Batista queiram processar companhia

Para alcançar o objetivo de reduzir emissões, a JBS utilizará o Bovaer, suplemento nutricional desenvolvido pela DSM “para melhorar consideravelmente a pegada de gases de efeito estufa na cadeia de valor da produção de carne bovina”.

“A DSM e a JBS vão desenvolver em conjunto o plano de implementação do Bovaer na cadeia produtiva. O objetivo é promover uma transição da indústria global de carne bovina, liderada pela JBS, para obter, via nutrição, um caminho seguro para reduzir as emissões de metano”, disseram as empresas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O acordo foi assinado na conferência climática COP26, em Glasgow, na Escócia.

No início de setembro de 2021, o Brasil foi o primeiro mercado a conceder a aprovação regulatória total para o suplemento, que é adicionado à alimentação dos animais, com potencial de reduzir em até 90% as emissões entéricas de metano.

Segundo as empresas, um quarto de colher de chá do aditivo ao dia, por animal, inibe a enzima que ativa a produção do gás metano no estômago do ruminante. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: