Linha de carne vegetal da BRF agora é carbono neutro

Emissões são neutralizadas do grão à mesa por meio de conservação florestal.

Redação
Compartilhe esta publicação:
KamranAydinov/Freepik
KamranAydinov/Freepik

O Veg Frango 100% Vegetal, da linha Sadia Veg&Tal, é a primeira carne vegetariana carbono neutro do mercado brasileiro

Acessibilidade


A companhia de alimentos BRF anunciou hoje (4) o lançamento de uma linha de carne vegetariana carbono neutro, de olho na demanda de consumidores por produtos “plant based” e mais sustentáveis.

O Veg Frango 100% Vegetal, da linha Sadia Veg&Tal, é a primeira carne vegetariana carbono neutro do mercado brasileiro, disse a companhia, que ressaltou que as emissões são neutralizadas do grão à mesa por meio de conservação florestal.

LEIA TAMBÉM: Vegano também é agro e depende do produtor para produzir seu alimento

O anúncio, realizado na conferência climática COP26, na Escócia, faz parte do plano da empresa de ser “Net Zero” em emissões de gases de efeito estufa até 2040, tanto em suas operações como em sua cadeia.

A companhia não revelou detalhes dos investimentos ou da escala de produção da linha.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“O próximo passo é completar a neutralização (de carbono) de outros produtos desta linha e ampliar para outras linhas”, disse o vice-presidente de Novos Negócios da BRF, Marcel Sacco, à Reuters.

A vice-presidente global de Relações Institucionais e Sustentabilidade da BRF, Grazielle Parenti, destacou que a iniciativa está incluída dentro dos planos de sustentabilidade da empresa, que contemplam por exemplo investimentos em geração de energia renovável para atender as operações próprias.

“Temos consciência que isso é o início de uma jornada, mas temos que começar, e estamos começando na BRF de forma robusta, o primeiro lançamento se soma a uma série de outras iniciativas”, reforçou Sacco.

A empresa também anunciou um “Selo Carbono Neutro”, que poderá ser usado em outros itens futuros. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: