Produtores de óleo de palma dizem que oferta deve permanecer restrita em 2022

Óleo vegetal provavelmente continuará sendo negociado na faixa altista de US$ 1.000 por tonelada no ano que vem.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Embrapa
Embrapa

Indonésia e Malásia são os maiores produtores globais de palma; Brasil está entre os 10

Acessibilidade


A produção global de óleo de palma em 2022 permanecerá restrita e com potencial de aumento limitado, disse o Conselho dos Países Produtores de Óleo de Palma (CPOPC, na sigla em inglês) hoje (30).

O óleo vegetal provavelmente continuará sendo negociado na faixa altista de US$ 1.000 por tonelada no ano que vem, disse o CPOPC em um relatório de previsão.

LEIA TAMBÉM: Projeções para pecuária em 2022: o que esperar?

Indonésia e Malásia são os maiores fornecedores mundiais de óleo de palma, respondendo por cerca de 85% da produção global. Os 15% restantes vêm de países como Tailândia, Nigéria e Colômbia. O Brasil está entre os 10 maiores produtores globais, mas não tem um volume significativo ante os maiores.

De acordo com a Abrapalma (Associação Brasileira de Produtores de Óleo de Palma), mais de 85% da produção brasileira está concentrada no Pará, onde existem cerca de 210.000 hectares de palma de óleo. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: