No aniversário de São Paulo, suas hortas urbanas mostram o campo na cidade

A capital paulista, que hoje completa 468 anos, tem um pé no campo com suas hortas que alimentam pessoas e educam sobre como cuidar da terra.

Vera Ondei
Compartilhe esta publicação:
Album FB
Album FB

Hortas urbanas, como a da Faculdade de Medicina da USP, são exemplos de trabalho comunitário intenso

Acessibilidade


A cidade de São Paulo, ou Sampa e que hoje (25) completa 468 anos, tem 12,3 milhões de habitantes, mais do que toda a população de países como Tunísia, Portugal ou Bélgica, e o dobro da população de países como Dinamarca, Finlândia e Noruega. São Paulo é a maior consumidora de produtos diversificados do agro brasileiro, dos cafés de Minas Gerais e Rondônia, à soja, milho, arroz e feijão de Mato Grosso, Goiás e Rio Grande do Sul. Ou ainda as frutas do Nordeste, como melões, abacaxis e mangas. Esses são apenas alguns exemplos da cidade que não para e que depende dos produtores rurais do café da manhã ao jantar.

Mas São Paulo também produz comida em meio à vasta paisagem de prédios e edifícios. As hortas urbanas, cada vez mais, tomam conta de espaços públicos e privados. Claro que elas não conseguem cobrir nem uma ínfima parte da demanda, mas dão dois sinais: São Paulo também é rural e mantém um veio plantado na terra e, o mais importante, as hortas urbanas matam a fome de muitas pessoas nas periferias da cidade com produtos de qualidade, como frutas e verduras.

CONFIRA TAMBÉM: Mercado halal para povos islâmicos deve chegar a US$ 5,74 trilhões até 2024

Quem já ouviu falar do AgroFavela-Refazenda? Ou da Horta Comunitária da Saúde? E a horta Orgânica da Tia Bela, no lado oposto da cidade, onde está a horta da Faculdade de Medicina da USP?

No dia do aniversário de São Paulo, nós mostramos 11 hortas: essas três e outras oito hortas que valem conhecer e até contribuir para que sejam perenes e referências em projetos futuros de uma São Paulo cada vez mais rural e verde. Confira:

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

1 – AgroFavela-Refazenda

Onde fica: Paraisópolis, Zona Sul

A horta foi criada em outubro de 2020. São 900 metros quadrados onde são produzidas hortaliças, legumes, frutas, flores e ervas. Conta com um sistema hidropônico com capacidade para cerca de 950 pés de verduras. Plantadas em canteiros estão outros 60 tipos de verduras. Paraisópolis é a segunda maior favela da capital, com cerca de 100 mil pessoas. Toda a produção é doada aos moradores. Saiba mais.

2 –  Horta Comunitária da Saúde

Divulgação_FB

Onde fica: Rua Paracatu, 66, Zona Sul

Idealizada pelo analista de sistemas Sergio Shigeeda, morador do bairro da Saúde, o espaço de 420 metros quadrados era um terreno baldio e cheio de lixo. Hoje, na horta estão folhosos, como alface,  couve, e também uma coleção de Pancs (plantas alimentícias não convencionais). A horta também se tornou um espaço de convivência, compartilhamento de saberes sobre o meio ambiente e alimentação saudável. Além disso, realiza ações sócio ambientais. Para hoje, aniversário da cidade, estava previsto o plantio de árvores em uma área fora da horta, próximo do parque do Ibirapuera. Mutirões ocorrem no segundo domingo de cada mês, de 9h às 13h, e mutirinhos são informados na rede social do grupo. Saiba mais.

3 – Horta Orgânica da Tia Bela

Album_FB

Onde fica: Rua Morro do Espia, 442, Zona Leste

Criada pela ONG Cidades Sem Fome, a horta está alojada debaixo de terrenos por onde passam as torres de linhas de transmissão de energia da ENEL. Essa é uma das hortas mais conhecidas, mas no total são 27 terrenos que eram subutilizados e que hoje produzem 31 tipos de hortaliças e legumes orgânicos. O projeto beneficia diretamente cerca de 400 pessoas e seus familiares, começou há 15 anos e já passou por várias fases. A ONG é responsável pela organização das áreas, a capacitação dos trabalhadores e a captação de recursos. Saiba mais com a ONG.

4 – Horta das Corujas

AlbumFB

Onde fica:  Avenida das Corujas, 39, Zona Oeste

Criada em 2012, a horta se tornou um espaço de convívio no bairro Vila Beatriz, um espaço onde as pessoas também passeiam e se reconectam com a natureza. O nome da horta se deve à Praça das Corujas. Nos viveiros estão a taioba, ora-pro-nobis, chaya, boldo, inhame, hortelã, manjericão, berinjela e couve. Mutirões semanais ocrren às terças-feiras, entre 9h30 e 11h30. Saiba mais.

5 – Horta da Trattoria Fasano

25Divulgação_Caroline Fonseca

Onde fica:  Rua Iguatemi (Itaim Bibi), Zona Oeste

A horta da Trattoria Fasano, localizada no Itaim Bibi, faz parte de um projeto social. Ela fica no complexo do Edifício Pátio Victor Malzoni, e tem 35 metros quadrados de cultivo de ervas, folhas e temperos, de onde saem direto para a cozinha do restaurante, considerado um dos melhores de São Paulo. Além desta horta, outras seis integram o projeto HSU (Horta Social Urbana), uma iniciativa da ONG ARCAH (Associação de Resgate à Cidadania por Amor à Humanidade). A entidade promove aulas de agricultura urbana agroecológica e oficinas educativas, nas quais preparam pessoas para o trabalho com a terra.  Além do Fasano, outros exemplos são as hortas do Jabaquara e da Escola Estadual Dep. Augusto do Amaral. Saiba mais.

6 –  Horta do Ciclista

Album_FB

Onde fica: Avenida Paulista, 2.444, Centro

O projeto nasceu em 2012. A pequena horta está localizada no canteiro central da avenida mais famosa da capital, nas proximidades da rua da Consolação. Nasceu como um exemplo de intervenção coletiva sobre o espaço urbano e deveria servir de modelo de educação de como é preciso plantar para ter o que comer. Hoje, o pequeno grupo que cuida do local resiste. Em setembro do ano passado, a prefeitura da capital mandou tirar todas as plantas, grande parte delas comestíveis, para reurbanizar com ornamentais. Saiba mais.

7 – Telhado Verde do Shopping Eldorado

Divulgação

Onde fica:  Avenida Rebouças, 3.970, Zona Oeste

Criada em 2012, a horta batizada de Telhado Verde do Eldorado, foi uma saída para destinar os resíduos orgânicos originados pelas lojas shopping, que é um dos mais tradicionais da cidade de São Paulo. O lixo, compostado, virou adubo para o cultivo de hortaliças e legumes, como alface, couve, cheiro verde, cenoura e beterraba, entre outros. A produção é consumida pelos funcionários do shopping. Saiba mais.

8 –  Horta e Viveiro Zilda Arns

Album_FB

Onde fica: Rua Antônio Pereira Pegas, 251, Zona Leste.

O Parque Linear da Integração Zilda Arns está completando 12 anos. A horta é mantida pelo Coletivo Dente de Leão, por meio de serviço voluntário. O parque linear é o terceiro maior do mundo e o maior do Brasil, compreendendo 2 distritos: Sapopemba e São Mateus onde estão ciclovia, pista de caminhada, quadras poliesportivas, mirante, viveiros e a horta.  Nela, os conceitos sobre agricultura urbana, permacultura, alimentação saudável e transformação urbana, são passados em debates, oficinas, visitas em campo e eventos de educação ambiental. Saiba mais.

9 – Horta da FMUSP (Faculdade de Medicina da USP)


Onde fica: Avenida Dr. Arnaldo, 455, Zona Oeste

A horta da medicina da Universidade de São Paulo foi criada em 2013. São cerca de 500 metros de cultivo de plantas medicinais, frutas, verduras e flores comestíveis. Os cuidados, como plantio, manutenção e colheita são realizados em mutirões que envolvem alunos, funcionários e a comunidade vizinha. Neste início de ano, os mantenedores da horta fizeram um chamamento para mais voluntários que podem ajudar nas regas, por exemplo. Os trabalhos são às segundas, quartas e sextas, às 12h. Saiba mais.

10 –  Horta do Centro Cultural São Paulo

Onde fica: Rua Vergueiro, 1000, Centro

O Centro Cultural São Paulo é um local mais conhecido e frequentado por seus shows. Mas, uma hora criada em 2011 caiu no gosto de seus frequentadores e foi adotada por eles. Os cuidados com as plantações de legumes e folhosos – e mesmo plantas pouco conhecidas, como caxi e shaya –, é tarefa de voluntários nos mutirões que ocorrem sempre no último domingo de cada mês. Saiba mais.

11 – Jardim do Beco

Album_FB

Onde fica: Rua Antônio Tavares, 474, Centro

O Jardim do Beco, ou horta do Cambuci, bairro que pertence à região central, como o próprio nome sugere, nasceu em uma área estreita, entre construções. O espaço serve de exemplo de como as hortas urbanas podem revolucionar o ambiente e fortalecer grupos. Desde meados do ano passado, o local está sendo reformado e revitalizado pelo coletivo Jardim do Beco e a prefeitura, como mostra a foto acima. Saiba mais.

Compartilhe esta publicação: