Parte das perdas na soja do Sul deve ser compensada por outros Estados

Safra pode alcançar 141,5 milhões de toneladas, com destaque para Centro-Oeste e Nordeste, que receberam de 50 a 150 milímetros de chuva acima da média.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
 REUTERS_Inae-Riveras
REUTERS_Inae-Riveras

A preocupação com o desenvolvimento contínuo da safra de soja é que está entrando em seu principal período de crescimento

Acessibilidade


A safra brasileira de soja 2021/22 deve alcançar 141,5 milhões de toneladas, estimou hoje (5) a Refinitiv, com um recuo de 2% ante a projeção anterior, mas mantendo a expectativa de recorde para a produção, com o desempenho dos demais Estados compensando parte das perdas pela seca na região Sul.

Segundo o levantamento, uma parte importante do Brasil viu condições climáticas mais favoráveis ​​nas duas últimas semanas de dezembro, que ajudaram a repor reservas de umidade do solo em importantes produtores, como Mato Grosso.

LEIA TAMBÉM: Entenda como a Danone incentiva agricultura regenerativa nos EUA

“Grandes áreas produtoras no Centro-Oeste (por exemplo, Mato Grosso e Goiás) e no Nordeste (por exemplo, Bahia e Piauí) receberam de 50 a 150 milímetros de chuva acima da média”, afirmou analista da Refinitiv Dong Soon Choi.

Por outro lado, a seca e o calor persistentes observados no início da temporada continuaram em muitas partes das regiões de produção do Sul, principalmente no Paraná, Rio Grande do Sul, e no Sudeste, como São Paulo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Os níveis de umidade do solo nessas regiões permanecem em patamar abaixo da média de cinco anos, apesar das recentes chuvas esparsas benéficas, especialmente perto do Sudeste.”

A Refinitiv disse que esta é uma preocupação para o desenvolvimento contínuo da safra de soja, que está entrando em seu período de crescimento principal, pois combinadas as regiões com perdas podem responder por até 30% da produção total de soja do Brasil.

As temperaturas nessas regiões de cultivo do Sul também têm estado consistentemente acima do normal e devem ficar acima da média pelo menos até a próxima semana, aumentando as preocupações, projetou o analista.

Nesta quarta-feira, a federação das cooperativas do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS) estimou perdas de 24% para a safra gaúcha de soja, em função da estiagem.

Na virada do ano, o Departamento de Economia Rural (Deral) realizou um levantamento emergencial de perdas pela seca, apontando uma redução de mais de 5 milhões de toneladas na projeção de safra de soja do Paraná, para 13,1 milhões de toneladas.

Em uma perspectiva mais pessimista, a consultoria StoneX deixou nesta semana de estimar recorde para a safra brasileira da oleaginosa, devido às perdas na região Sul.

Compartilhe esta publicação: