15 recordes que fazem dos produtores rurais os âncoras da economia brasileira

Foram muitos em 2021, o que torna o agro brasileiro uma fonte segura de produção de alimentos para a sua população e para o mundo.

Erich Mafra
Compartilhe esta publicação:
Craigmyle_Guettyimages
Craigmyle_Guettyimages

Os produtores rurais têm feito a lição de casa: produzir, mesmo com o desafio sanitário da pandemia

Acessibilidade


O crescimento da produção agropecuária tem sido constante nas últimas duas décadas, movimento que colocou o Brasil entre as potências agroalimentares globais. Nos últimos dois anos, um elemento novo esteve no centro das tarefas dos produtores rurais. Enquanto o mundo se perguntava como abastecer despensas e geladeiras durante o enfrentamento da pandemia trazida pelo novo coronavírus, a grande maioria dos produtores brasileiros fechou as porteiras de suas fazendas, chácaras, estâncias, granjas, sítios e afins.

Mas não pararam de produzir. Fechar as porteiras foi a medida tomada para proteger suas famílias e equipes, enquanto as empresas de insumos, máquinas, consultorias e a agroindústria se “viraram nos 30” – foram eficientes numa situação difícil – para atender às demandas do campo por insumos, tecnologias, ciência e embarques dos produtos para fora das propriedades. E o agro continuou sua trajetória.

LEIA TAMBÉM: Brasil exporta US$ 120,6 bi em produtos do agronegócio e bate mais um recorde para 2021

Responsável por cerca de 29% do PIB (Produto Interno Bruto) do país, o agronegócio – independentemente do tamanho do negócio do produtor rural – foi uma das grandes estrelas da economia durante o desafiador ano de 2021, e uma âncora confiável, mesmo enfrentando intempéries: de longas estiagens a geadas e chuvas de granizos sobre as plantações. O café, por exemplo, foi uma cultura duramente afetada por geadas extremas.  O produtor também enfrenta uma fortíssima alta nos custos de produção e o consumidor, inflação nos supermercados.

Mesmo assim, com desafios que seguem neste ano,  enquanto o tema segurança alimentar voltou como uma ameaça aos países dependentes da produção de alimentos importados, para o Brasil esse fantasma representa uma oportunidade real: é possível produzir mais, melhor e com sustentabilidade. Em 2021, o agro brasileiro produziu alimentos, fibras, bioenergia e produtos florestais. E também produziu recordes.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Alguns recordes ainda não foram oficialmente contabilizados, como o PIB Agro 2021, mas nós já listamos 15 recordes nas mãos do produtores rurais que você pode conferir:

  • US$ 120,59 bilhões: exportações totais dos produtos do campo

  • US$ 42,75 bilhões: vendas para China e Hong Kong (região administrativa chinesa)

  • R$ 1,129 trilhão: VBP (Valor Bruto da Produção) Agropecuária 

  • US$ 40,012 bilhões: receita das exportações do complexo soja (grãos, óleo e farelo)

  • US$ 19,8 bilhões: exportações de carnes (bovina, frango, ganso, ovinos, caprinos, pato, peru, equídeos)

  • US$ 9,199 bilhões: valor da carne bovina exportada
  • US$ 7,66 bilhões: valor dos embarques de 4,6 milhões de toneladas de carne de frango 

  • US$ 1 bilhão: em exportações de frutas

  • US$ 3,724 bilhões: algodão e produtos têxteis exportados

  • US$ 6,789 milhões: valor das tilápias exportadas, entre peixe resfriado ou fresco, além de animais vivos

  • 1,13 milhão de toneladas de carne suína exportadas

  • 86,63 milhões de toneladas de soja exportadas

  • 255 ovos por habitante/ano foi o consumo interno

  • R$ 40,12 bilhões foi o VBP (Valor Bruto da Produção) do café

  • 16,29 milhões de sacas colhidas de café conilon (ou robusta)

 

Compartilhe esta publicação: