Comerciantes de café lutam para redirecionar embarques diante de guerra

Os fluxos comerciais para a Rússia e a Ucrânia entraram em colapso devido a sanções ocidentais e à decisão de Kiev de fechar seus portos.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Wenderson Araujo-Trilux
Wenderson Araujo-Trilux

A Rússia é o quarto maior importador de café do mundo e, junto da Ucrânia, responde por quase 4% do consumo global

Acessibilidade


Os comerciantes de café estão se esforçando para redirecionar os embarques antes destinados à Rússia e à Ucrânia, à medida que os fluxos comerciais para os dois países entram em colapso devido às sanções ocidentais impostas a Moscou e à decisão de Kiev de fechar seus portos.

A Rússia é o quarto maior importador de café do mundo depois da União Europeia, Estados Unidos e Japão.

“(Os fluxos de comércio) estão parando. Realisticamente, esses contratos terão que ser anulados. Simples assim”, disse um trader de café de uma grande empresa internacional de Genebra.

A Rússia e a Ucrânia juntas respondem por quase 4% do consumo global de café.

Os dois países importam em grande parte grãos de café robusta, que são frequentemente usados para fazer café instantâneo. Os grãos são uma alternativa mais barata ao arábica de sabor mais suave.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As maiores linhas de transporte de contêineres do mundo, incluindo as três principais – MSC, Maersk e CMA CGM – suspenderam temporariamente os embarques de carga para a Rússia, enquanto os portos da Ucrânia foram fechados desde a invasão russa.

Compartilhe esta publicação: