Suzano e Klabin elevam preços da celulose em até US$ 125 por tonelada

As empresas estão ampliando movimentos sequenciais de alta em marcha desde o final de 2021.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Muhammad Hamed/Reuters
Muhammad Hamed/Reuters

A Suzano vem anunciando aumentos de preços de celulose desde novembro

Acessibilidade


Suzano e Klabin comunicaram clientes em todos os mercados em que atuam sobre aumentos de preços de celulose para entre o fim deste mês e início de abril, ampliando movimentos sequenciais de alta em marcha desde o final de 2021.

O preço da tonelada de celulose da Suzano vendida a clientes na Ásia subirá em US$ 100 (R$ 496) a partir de abril. Para América do Norte e Europa, o reajuste será de US$ 50 (R$ 248,30), informou uma fonte do mercado hoje (21)

Já a celulose tipo “fluff”, usada em produtos como fraldas, terá preço elevado pela Suzano em US$ 100 (R$ 496) em todos os mercados onde a empresa atua a partir do início do próximo mês.

Procurada, a Suzano confirmou os reajustes e afirmou que se baseiam “nos fundamentos dos mercado”.

No mês passado, o diretor de celulose da Suzano, Leonardo Grimaldi, disse que o mercado global da commodity usada na produção de diferentes tipos de papéis seguia com restrições de oferta, com a demora da entrada em operação de novas capacidades produtivas e estoques baixos, o que favorecia aumentos de preços nos próximos meses.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Suzano vem anunciando aumentos de preços de celulose desde novembro. A empresa não confirmou os novos preços para abril após reajustes. No quarto trimestre, o preço médio da celulose vendida pela empresa foi de US$ 630 (R$3.128), alta de 38% em 12 meses, mas queda de 3% ante o trimestre imediatamente anterior.

As ações da Suzano exibiam queda de 3,5% às 16h10, enquanto o Ibovespa avançava 0,6%. A Klabin tinha queda de cerca de 2,3% no mesmo horário.

Procurada, a Klabin informou que seu reajuste para a Ásia será de US$ 100 (R$ 496) a tonelada, para US$ 780 (R$ 3.873), diante de “defasagem de preços na China com relação a outros mercados”.

Na Europa, a Klabin anunciou aumento de US$ 30 (R$ 148,98) na fibra curta a partir do final deste mês, atingindo US$ 1.170 (R$ 5.810) a tonelada. Em fibra longa, o reajuste será de US$ 40 (R$198,64) também a partir do fim de março, para US$ 1.340 (R$ 6.654) a tonelada. Já em celulose tipo fluff, a Klabin vai elevar seu preço em US$ 125 (R$620) a tonelada a partir de abril.

“O reajuste de preços está alinhado com a atual dinâmica de mercado”, disse a Klabin citando demanda elevada, baixo nível de estoques, logística congestionada e pressão de custos em geral.

VEJA TAMBÉM: Mercado global de celulose segue apertado e Suzano vê elevação de preços

Compartilhe esta publicação: