Trigo e milho recuam em Chicago após USDA provocar rali com preocupações de oferta

Os futuros de trigo e milho negociados na Bolsa de Chicago recuaram um dia depois de subir com as previsões do USDA .

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Karl Plume/Reuters
Karl Plume/Reuters

O USDA deve divulgar uma atualização semanal sobre o progresso do plantio na segunda-feira (16)

Acessibilidade


Os futuros de trigo e milho negociados na Bolsa de Chicago recuaram  hoje (13), um dia depois de subir com as previsões do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) que indicavam um aperto na oferta global.

Traders obtiveram alguns lucros antes do fim de semana e com expectativas de que os agricultores dos EUA estão avançando no plantio de milho, graças ao melhor clima da safra do Meio-Oeste americano, disseram analistas.

O USDA deve divulgar uma atualização semanal sobre o progresso do plantio na segunda-feira (16).

Mas os mercados continuam nervosos com a oferta restrita de grãos devido ao déficit global e à invasão russa da Ucrânia, um grande exportador de trigo e milho, disseram analistas.

“Há tolerância zero para problemas de safra nos EUA neste verão”, disse Tomm Pfitzenmaier, analista da Summit Commodity Brokerage em Iowa, sobre o milho.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Na bolsa de Chicago, o trigo soft vermelho de inverno fechou em queda de 1,25 centavo de dólar a US$ 11,77 (R$ 60,10) o bushel, após tocar um pico de dois meses anteriormente.

O milho mais ativo fechou em queda de 10,25 centavos de dólar a US$ 7,81 (R$ 39,8) o bushel, enquanto a soja fechou em alta de 32,75 centavos de dólar a US$ 16,46 (R$ 84) o bushel.

Forbes abre inscrições para lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: