AgroRound: Fazenda do Futuro, Ihara, Phibro e outras notícias do campo

Confira parcerias, lançamentos e movimentações que marcaram o agronegócio na última semana

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A Fazenda Futuro, foodtech plant based criada em 2019 por Marcos Leta e Alfredo Strechinsky, e que desde maio tem como sócia a cantora Anitta, anunciou o lançamento da linha “Futuro Party”, três versões de produtos congelados voltados às festas e celebrações. São eles: kibes, mini burgers e frango empanado. “Nada melhor do que lançar uma linha completa de festa com a Anitta”, diz Mari Tunis, diretora de marketing da foodtech.

LEIA MAIS: Embrapa procura parceiros para sua tecnologia Aqua On

A criação dos produtos contou com a participação da cantora em diversos processos. Como a escolha do nome comercial do kibe: Kikikibe, fofoca, na gíria. Os produtos são à base de soja convencional, livres de transgênicos, corantes e aromas artificiais, vendidos em embalagens de 240 gramas. A foodtech é avaliada em R$ 2,2 bilhões e a expectativa é exportar também a nova linha. Segundo Leta, atualmente, 65% do faturamento é internacional, onde a marca já está presente em 30 países, e 35% está no Brasil.

Rubia Barra vence o Desafio da Pecuária Responsável

Divulgação
Divulgação

Pecuarista Rubia Garra propõe procedimento que elevam a gestão da vacinação do gado

A produtora goiana Rubia Pereira Barra, 65 anos, do município de Paranaiguara, foi a vencedora do Desafio da Pecuária Responsável, promovido pela Phibro Saúde Animal, multinacional de saúde e nutrição animal. O objetivo foi testar ideias de soluções propostas para as dores dos pecuaristas no campo. Foram 70 inscrições, das quais 10 ideias foram acompanhadas por um ano. A final ocorreu na terça-feira (5).

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A proposta de Rubia foi sobre um procedimento operacional padrão de vacinação para melhorar esse trabalho nas fazendas, um processo estressante para o gado. Falhas podem prejudicar o bem-estar e até mesmo a saúde dos animais, com o aparecimento de abcessos e reações vacinais.

O procedimento proposto – e já testado na prática, desde 2016, em sua fazenda –, contempla o acondicionamento de vacinas e medicamentos, a troca de agulhas durante a vacinação, o uso de cuba ultrassônica com detergente enzimático para limpeza e autoclave para esterilização de seringas e agulhas reutilizáveis, reduzindo abcessos e reações vacinais. “Para mim, esse prêmio vem como o reconhecimento de um trabalho que desenvolvemos na fazenda há cerca de 6 anos”, diz Rubia, que, além de um troféu, recebeu um cheque no valor de R$ 15 mil.

Banrisul coloca R$ 7 bilhões em crédito ao Plano Safra

O Banrisul lançou terça-feira (5), o maior Plano Safra de sua história, segundo a instituição, com a oferta de R$ 7 bilhões em crédito, 35% a mais em relação à safra anterior – que também foi recorde, superando os 5,2 bilhões então anunciados para o agronegócio em linhas de crédito rural. De acordo com Cláudio Coutinho, presidente do banco, a expectativa é beneficiar mais de 50 mil produtores rurais. “O agronegócio é um setor estratégico para a economia do Rio Grande do Sul e sabemos o quanto o Estado impulsiona o PIB do Brasil neste segmento”, disse.

Do total disponível, R$ 6,1 bilhões serão destinados a custeio, comercialização e industrialização, enquanto R$ 900 milhões ficarão direcionados a investimento. No plano anterior, o 2021/2022 foram quase 30 mil produtores beneficiados, sendo 65% pequenos e médios produtores. A divisão da oferta está assim: R$ 1,5 bilhão para pequenos agricultores e R$ 2 bilhões aos médios produtores. Nos demais segmentos, como empresas e cooperativas, a soma é de R$ 3,5 bilhões.

Produtores paulistas serão pagos para cultivar palmeira-juçara

Divulgação
Divulgação

Produtores de juçara podem comercializar os frutos, preservando a árvore

A (Fundação Florestal) Fundação para a Conservação e a Produção Florestal do Estado de São Paulo, anunciou o credenciamento de 98 agricultores no PSA (Programa de Pagamento por Serviços Ambientais) da Palmeira-Juçara, planta nativa da Mata Atlântica ameaçada de extinção. Os participantes são de comunidades tradicionais e quilombolas de cinco Unidades de Conservação: APA Quilombos do Médio Ribeira, RDS Lavras, RDS Barreiro-Anhemas, RDS Barreiro-Anhemas, RDS Pinheirinhos e RDS Quilombos de Barra do Turvo.

No programa, cada produtor receberá entre R$ 24.200 e R$ 36.300 ao longo de todo o processo, de acordo com a área a ser implantada, que varia de dois a três hectares. Nessas áreas, há o compromisso de não cortar nenhuma palmeira para obtenção do palmito por aproximadamente sete anos. Mas podem colher e comercializar o fruto da palmeira, na forma de produtos como polpa e sorvete.

O produtor também deverá entregar algumas contrapartidas de baixo custo e de alto impacto ambiental, como ter caixas de abelhas nativas que ajudam na polinização da juçara, na conservação da espécie, além de organizar visitas escolares à propriedade. A estimativa da fundação é chegar a 800 produtores nos próximos dez anos, com cerca de 1.500 hectares de palmeira-juçara plantados.

Sicoob espera movimentar R$ 41 bilhões no Plano Safra 22/23

O Sicoob, cooperativa financeira, espera movimentar R$ 41 bilhões na Safra 2022/2023 para produtores rurais. O percentual de aumento é de 71%, comparado ao ano-safra anterior, em que foi concedido cerca de R$ 24 bilhões em crédito para produtores pequenos, médios e empresariais.

Serão destinados R$ 21 bilhões às operações de custeio, R$ 17 bilhões para operações de investimento e R$ 3 bilhões para industrialização e comercialização. Ainda haverá R$ 9 bilhões direcionados aos pequenos produtores por meio do Pronaf, e R$ 11 bilhões para os médios produtores via Pronamp. A instituição conta com 6 milhões de cooperados, dos quais 490 mil são produtores rurais e 76% deste público são formados por pequenos produtores.

Rum brasileiro conquista prêmio em concurso mundial

Divulgação
Divulgação

Bebida premiada na Europa é do interior de São Paulo

Entre os dias 20 e 24 de junho, 120 especialistas representando 34 nacionalidades participaram de degustações e elegeram os melhores destilados do mundo. No resultado da 24ª edição da Seleção de Bebidas Espirituosas, no Concurso Mundial de Bruxelas, na Bélgica, aparece o Rum Cavendish, criado em 2021 por Joseph Van Sebroeck, um dos proprietários do alambique na região de Ilhabela (SP). Foi a primeira vez que a família inscreveu a bebida em um prêmio e trouxe ao Brasil a medalha de prata.

O evento contou com 2.030 inscrições, representando 60 países. Há três tipos de medalhas: grande medalha de ouro, medalha de ouro e medalha de prata. A bebida ganhadora é um produto nacional, feito com notas aromáticas de banana, cana de açúcar e especiarias. Neste ano, o evento que é itinerante, aconteceu em Guadalupe, território ultramarino francês. França, China e Brasil são os três principais países com o maior número de medalhas.

Caatinga terá cooperativa de Crédito de Carbono

Na semana passada, foi criada a pioneira Associação de Produtores de Crédito de Carbono Social do Bioma Caatinga, em evento realizado em Delmiro Gouveia . A entidade é composta por proprietários de áreas preservadas no bioma Caatinga dos estados de Alagoas, Bahia, Pernambuco e Sergipe, e também técnicos comprometidos com o desenvolvimento de projetos de Crédito de Carbono Social. A nova Associação terá apoio do Lab de Economia Regenerativa do rio São Francisco, que está sendo estruturado em Paulo Afonso (BA), no âmbito do Projeto HidroSinergia.

O objetivo é incorporar às atividades da região o conceito de justiça climática, abrangendo mecanismos de redução de desigualdades, economia regenerativa, mercado de carbono, serviços ambientais, recuperação de ecossistemas e proteção da biodiversidade. Os associados listaram sete tarefas imediatas: 1 – Levantamento do estoque de carbono; (2) Modelagem do cálculo de captura de carbono; (3) Levantamento de áreas desmatadas para regeneração; (4) Construção do modelo colaborativo de gestão dos créditos; (5) Articulação de compradores de créditos de carbono e de serviços ambientais; (6) Estudos (que serão desenvolvidos no Lab) para agregar diversos eixos de Economia Regenerativa; (7) Contribuir na difusão do conceito de crédito de carbono social do Bioma Caatinga e justiça climática.

IHARA entra para o segmento de pastagem

A Ihara, multinacional do setor de defensivos agrícolas, anunciou nesta semana que vai atuar no segmento de pastagem, depois de cerca de quatro anos de pesquisa e desenvolvimento de mercado. A empresa vai concentrar esforços na oferta de produtos para controle de pragas, doenças, plantas daninhas e tratamento de sementes.

“A partir dos resultados de estudos e pesquisas conseguimos chegar nesse novo portfólio”, diz Guilherme Moraes, líder no segmento de pastagem da empresa. Estarão no mercado inseticidas, herbicidas, fungicidas e um óleo mineral adjuvante, utilizado de forma combinada que ajuda o herbicida a penetrar nas folhas. Até 2026 serão lançados 15 novos produtos e a expectativa é que, a partir de 2027, comece a atuar no mercado de biológicos para pastagens. De acordo com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), no Brasil cerca de 95% da carne bovina é produzida em regime de pastagens, cuja área total é de 167 milhões de hectares.

Aline Oliveira retorna à Traive

Divulgação
Divulgação

Aline Oliveira volta à empresa depois de quatro anos

Aline Oliveira, fundadora da Traive em 2018, fintech especializada em desenvolver infraestrutura tecnológica para serviços financeiros e plataforma de Inteligência Artificial para análise de risco de crédito e gestão de portfólio, retornou para a empresa neste mês de julho. Além de sócia, assume o cargo de diretora de IA e Estratégia de Produtos.
Após quatro anos no mercado de tech/agro, ela estará à frente do desenvolvimento de novas tecnologias e soluções para a indústria agrícola e financeira. A Traive tem sede nos Estados Unidos e atuação no Brasil. “Retorno em um momento extremamente estratégico e positivo para os nossos negócios”, diz ela. Aline é mestre em tecnologia pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology) e passou por grandes empresas, como Índigo e Cargill.

CNA, federações e Conab vão estudar corredores logísticos

A CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), as federações de agricultura dos estados e a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) estão discutindo uma proposta de estudo para fazer um diagnóstico dos corredores logísticos do Nordeste. O objetivo é melhorar a eficiência do escoamento de grãos para os portos da região. O tema foi discutido na quinta-feira (7), pela Comissão Nacional de Logística e Infraestrutura da CNA.

O estudo é uma demanda antiga do setor, diante da necessidade de conclusão das obras de algumas rodovias que passam pela região, como a BR-020, que sai de Brasília e percorre os estados da Bahia, Piauí e Ceará. “A conclusão dessa rodovia é muito importante para a região do semiárido, onde a produção de grãos e a pecuária têm crescido nos últimos anos”, disse Mário Borba, presidente da comissão e da Faepa-PB (Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba).

Na safra 2020/2021, os estados do Nordeste foram responsáveis por produzir 16 milhões de toneladas de soja e 8 milhões de toneladas de milho. Em 2021, o porto de Itaqui, no Maranhão, exportou 7,8 milhões de toneladas de soja. Já o porto de Salvador, na Bahia, embarcou cerca de 3 milhões de toneladas do grão.

Programa Nuffield estão com inscrições abertas

Divulgação
Divulgação

Programa Nuffield abre oportunidades para conhecer o agro global

As inscrições para o Programa Nuffield Global de Pesquisa no Agronegócio 2023 estão abertas até o dia 31 de julho. O programa é reconhecido pela Universidade Aberystwyth, no país de Gales, e permite duas possibilidades de participação, por meio de bolsas concedidas por empresas parceiras e também de forma particular. Jovens profissionais de 25 a 40 anos; atuantes em cargos de liderança no mercado, com experiência mínima de cinco anos; dedicados pela cadeia de alimentos; vontade de participar em uma rede de agricultura global para compartilhar e desenvolver conhecimentos e inglês avançado estão aptos a concorrer.

A Nuffield, organização internacional com mais de 70 anos, promove o intercâmbio por meio de 11 semanas de viagens internacionais ao longo de dois anos para qualquer parte do mundo. Conhecidos como scholars, os bolsistas conhecem o que é feito de mais atual e inovador em empresas e propriedades rurais do mundo. Confira no site: https://www.nuffield.com.br/premiacao-nuffield.

Azeite premiado vai para o mercado

A fazenda Serra dos Tapes, localizada no município de Canguçu (RS), começou a vender os azeites de oliva extra virgem Potenza Blend Suave e Potenza Blend Intenso em empórios e supermercados de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Elaborados por Cláudia Santos, sommelier e mestra de lagar , a versão suave do blend recebeu medalha de ouro no Concurso Mundial de Azeites de Nova York, um dos mais prestigiados do mundo, realizado em maio. A estimativa da empresa é atingir uma produção anual de 145 mil litros e faturar R$ 15 milhões em 2031.

“Muito embora o Brasil seja o segundo maior importador de azeites do mundo, ainda temos um consumo per capita por ano muito baixo, de cerca de 170 mililitros. Em vários países da Europa, o consumo por pessoa chega a 20 litros anualmente. E como 98% do azeite consumido no país é importado, existe uma excelente oportunidade para expandirmos fortemente a venda dos nossos produtos no mercado nacional”, diz Cláudia.

A produção de azeites na Fazenda Serra dos Tapes ocorre no período de colheita dos frutos, no arco temporal da colheita no hemisfério sul, do fim de fevereiro ao fim de abril. Em 2031, a empresa pretende atingir um volume anual de 145 mil litros de azeite, alcançando um faturamento de R$ 15 milhões. A fazenda tem 210 hectares de oliveiras e faz parte da Rota dos Olivais da Serra dos Tapes, aberta às visitações.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: