Apresentado por       

Começa consulta pública sobre metas de corte de emissões do RenovaBio para 2022-2031

O programa federal foi lançado em 2019 com o objetivo de ampliar a produção e uso dos biocombustíveis no Brasil.

Redação
Apresentado por       
Compartilhe esta publicação:
Tom Merton/Getty
Tom Merton/Getty

Lançado em 2019, o programa federal RenovaBio tem como objetivo ampliar a produção e uso dos biocombustíveis

Acessibilidade


O MME (Ministério de Minas e Energia) abriu hoje (07) uma consulta pública de um mês para discutir as metas anuais de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa para o período 2022-2031 no âmbito do programa RenovaBio, informou a pasta em nota.

Lançado em 2019, o programa federal RenovaBio tem como objetivo ampliar a produção e uso dos biocombustíveis e contribuir com o corte de emissões ao estabelecer compromissos a serem cumpridos por distribuidores de combustíveis.

LEIA TAMBÉM: Produtor recebe valor histórico pelo leite, mas consumo, inflação e custo anulam ganhos, avalia Itaú BBA

Na consulta, o ministério propôs meta de comercialização de 35,98 milhões de CBios (créditos de descarbonização) por distribuidoras de combustíveis em 2022, com avanço gradual ao longo dos anos, até atingir 95,67 milhões de títulos em 2031.

Após a análise e a compilação das contribuições recebidas durante a consulta, que terminará em 6 de agosto, o Comitê RenovaBio encaminhará as recomendações para a deliberação do CNPE (Conselho Nacional de Política Energética).

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em 2021, o objetivo fixado foi de 24,86 milhões de títulos. Já em 2020, as metas inicialmente totalizavam 28,7 milhões de créditos, mas os efeitos da pandemia de coronavírus levaram o governo a reduzi-las pela metade.

O CBio é emitido por produtores de etanol e biodiesel, com base em sua eficiência energético-ambiental e no volume de biocombustíveis comercializado no mercado nacional. Cada CBio equivale a uma tonelada de emissões evitadas.

Responsáveis pela aquisição da maior parte dos títulos em 2019/20, BR Distribuidora, Ipiranga –do grupo Ultrapar– e Raízen, joint venture de Shell e Cosan, cumpriram integralmente suas metas no período. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: