Apresentado por       

Shell confirma planos de recorrer de decisão judicial holandesa sobre metas climáticas

A petroleira já havia indicado que apelaria da decisão que ordenou a empresa a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 45% até 2030.

Redação
Apresentado por       
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

A Shell já havia indicado que apelaria da decisão que ordenou a empresa a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 45% até 2030

Acessibilidade


A petroleira Royal Dutch Shell confirmou hoje (20) que vai recorrer de uma decisão judicial na Holanda que determinou que a companhia acelere suas metas de redução de emissões de carbono.

A Shell já havia indicado anteriormente que apelaria da decisão de 26 de maio, que ordenou a empresa a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 45% até 2030, com base nos níveis de 2019, em processo significativamente mais rápido do que o planejado pela petroleira.

LEIA TAMBÉM: Startup brasileira de reflorestamento facilita compensação ambiental de grandes empresas

A companhia anglo-holandesa também disse que, frente à decisão, buscará intensificar sua estratégia de transição energética.

“Concordamos que uma ação urgente é necessária e vamos acelerar nossa transição para emissões líquidas zero”, disse o presidente-executivo da Shell, Ben van Beurden, em comunicado publicado hoje (20).

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Mas vamos recorrer porque uma decisão judicial, contra uma única empresa, não é eficaz. O que é necessário são políticas claras e ambiciosas que irão gerar mudanças fundamentais em todo o sistema de energia.” (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: