Apresentado por       

DuPont Brasil acelera produção de vestimentas sustentáveis de proteção ao coronavírus

As peças Tyvek são feitas com material 100% reciclável e utilizadas por hospitais e instituições produtoras de vacinas em todo o país, como o Instituto Butantan

Redação
Apresentado por       
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

O material das peças – feito com polietileno de alta densidade – é 100% reciclável e fácil de ser armazenado

Acessibilidade


A DuPont Brasil, especializada em materiais e soluções baseados em tecnologia para transformação, anunciou com exclusividade à Forbes que está acelerando a produção de vestimentas contra o coronavírus para poder atender ao aumento da demanda de EPIs (equipamentos de proteção individual) para profissionais da saúde. As peças Tyvek são utilizadas por hospitais e instituições produtoras de vacinas do país.

Entre 2019 e 2020, as vendas do produto registraram um salto de 30%, de 4,4 milhões para 5,7 milhões de unidades. Segundo a companhia, as peças são necessárias para aumentar a proteção química e biológica dos trabalhadores contra a Covid-19. No primeiro trimestre deste ano, o ritmo segue alto, com 1,5 milhão de vestimentas vendidas no país.

LEIA MAIS: Pegada limpa: 6 fashiontechs que oferecem calçados sustentáveis, recicláveis e sem crueldade animal

Além do aumento da produção, a marca reforçou o compromisso com a logística reversa, promovendo melhores práticas de descarte, transporte e reciclagem das roupas de proteção. Segundo a empresa, o material das peças – feito com polietileno de alta densidade – é 100% reciclável e fácil de ser armazenado. “Esse é um dos principais exemplos que têm nos ajudado a cumprir as metas de ESG estabelecidas globalmente pela companhia, em um projeto que tem três pilares: operações sustentáveis, inovações para prosperar e bem-estar das pessoas”, afirma Levi Silva, gerente de vendas do segmento de proteção pessoal da DuPont para a América Latina.

Segundo o executivo, o uso de Tyvek reduz ao máximo os riscos de contaminação das vacinas durante o manuseio e tratamento de pacientes. O Instituto Butantan, responsável pela vacina Coronavac, responde por quase 15% do total de aquisições das peças produzidas pela empresa.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: