Apresentado por       

Biden reúne líderes mundiais para debater mudança climática antes de cúpula de Glasgow

O presidente dos EUA intensificou seu discurso sobre a mudança climática desde os recentes incêndios florestais e inundações que devastaram algumas regiões do país.

Redação
Apresentado por       
Compartilhe esta publicação:
Leah Millis/Reuters
Leah Millis/Reuters

Presidente dos EUA, Joe Biden, durante pronunciamento na Casa Branca

Acessibilidade


O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reuniu líderes mundiais hoje (17) para debater a intensificação dos esforços para combater a mudança climática, tentando criar ímpeto antes de uma cúpula internacional sobre o aquecimento global no final deste ano.

Biden realizará uma reunião virtual do Fórum das Grandes Economias (MEF) na Casa Branca, uma sequência do encontro do Dia da Terra que ele sediou em abril para apresentar novas metas de redução de emissões de gases de efeito estufa e induzir outros países a fazerem mais para conter as suas.

LEIA TAMBÉM: Cúpula do clima de Glasgow corre risco de fracasso, aponta secretário-geral da ONU

O presidente enfatizou a mudança climática diversas vezes nas últimas semanas na esteira dos danos causados por inundações e incêndios florestais devastadores nos EUA.

Tratar do assunto é uma de suas maiores prioridades domésticas e internacionais, e a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021 (COP26) em Glasgow de 31 de outubro a 12 de novembro é vista como um momento crítico para o mundo se comprometer a fazer mais para deter a elevação das temperaturas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Biden está torcendo para reunir grandes poluidores para tornar a COP26 um sucesso.

A Casa Branca não divulgou os nomes dos países participantes da reunião de hoje (17). O encontro de abril inclui comentários do presidente chinês, Xi Jinping, do presidente russo, Vladimir Putin, da chanceler alemã, Angela Merkel, e de outros líderes mundiais.

Ainda nesta semana, a Casa Branca disse que Biden espera usar o MEF depois da cúpula da Organização das Nações Unidas (ONU) para continuar pressionando por medidas pró-clima.

“O presidente… delineará planos para alavancar o MEF pós-Glasgow como uma plataforma para esforços coletivos concretos de escalada da ação climática ao longo desta década decisiva”, disse a Casa Branca em um comunicado.

VEJA MAIS: Desmatamento altera regime de chuvas e impacta agricultura e exportações brasileiras, mostra estudo

Também em abril, Biden anunciou uma nova meta para reduzir as emissões de gases de efeito estufa dos EUA em 50%-52% até 2030 na comparação com os níveis de 2005.

A reunião de hoje (17) pode se concentrar especialmente no metano. Os EUA e a União Europeia concordam em tentar cortar as emissões de metano em cerca de um terço até o final desta década e estão pressionando outras grandes economias a se unirem a eles, de acordo com documentos vistos pela “Reuters”. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: