Conheça o LF-30 Electrified, o carro do futuro da Lexus

ReproduçãoForbes
O carro dá uma mostra da tecnologia progressiva que vai incluir motores elétricos nas rodas, controle de postura e muito mais

Resumo:

  • Algumas das características do LF-30 são os quatro motores elétricos nas rodas e um mordomo de inteligência artificial a bordo; 
  • Além da tecnologia, o design também é um grande marco do carro-conceito; 
  • A Lexus é uma marca nova, e isso influencia na sua ousadia.

O LF-30 Electrified prevê o futuro do design da Lexus. Revelado na última semana no Salão Automóvel de Tóquio de 2019, o carro-conceito futurista mostra as possibilidades de um veículo elétrico e autônomo para a marca japonesa a partir de 2030. Ele dá uma mostra da tecnologia progressiva que vai incluir quatro motores elétricos nas rodas, direção por fio, controle de postura e um tipo de mordomo de inteligência artificial a bordo.

Os motores elétricos são posicionados em cada uma das quatro rodas com a bateria baixa no veículo para ajudar no manuseio e no desempenho, enquanto a tecnologia autônoma de veículos de suporte e drones está prevista para além de 2030. O conceito usa sistemas de carregamento sem fio e gerenciamento de energia por inteligência artificial para uma distribuição ideal de energia elétrica para o veículo e para casa. É uma maneira de coordenar economicamente o carregamento de bateria com a nossa vida diária.

ReproduçãoForbes
O conceito usa sistemas de carregamento sem fio e gerenciamento de energia por inteligência artificial

A tecnologia é empolgante, mas é com o design LF-30 que a Lexus está deixando sua marca. O trabalho criativo do ED2, um estúdio europeu de design avançado sediado no sul da França, faz com que o carro-conceito evolua essencialmente o tema visual da companhia, o “L-finesse”. 

ReproduçãoForbes
O Design é uma forte marca do protótipo

O corpo é uma escultura elegante: frente fluida em transição para uma traseira linear e afiada, com a ausência de um motor de combustão, o que elimina a necessidade de um capô convencional. Os faróis em forma de asa combinam com a nitidez das luzes traseiras e com as entradas de ar laterais para obter um ótimo desempenho aerodinâmico e de resfriamento. Além disso, a grade central do eixo Lexus foi redesenhada para ser menos parecida com um carro convencional e expressar a tecnologia que conduz esse carro. Enquanto isso, o LF-30 altera a tonalidade e os padrões como forma de sinalizar se o carro está operando no modo convencional ou autônomo.

ReproduçãoForbes
A frente do carro é fluida em transição para uma traseira linear e afiada

O interior do LF-30 olha para além de 2030, para o possível futuro sem motorista. O design é inspirado na maneira como uma única rédea pode criar entendimento mútuo entre um cavalo e um cavaleiro. O que isso significa é uma interface de motorista altamente intuitiva que usa controle por gestos e realidade aumentada. O layout da cabine e o design dos assentos são emprestados de viagens aéreas na primeira classe para incentivar tanto a interação quanto a privacidade. Por fim, os bancos traseiros usam tecnologia muscular artificial para moldar sua forma em torno dos ocupantes.

LEIA MAIS: McLaren revela novo carro elétrico para crianças

O teto de vidro tem operação por voz e uma janela de exibição controlada por gestos, trabalhando com realidade aumentada para projetar mídia e informações relevantes para os passageiros traseiros. O interior também sinaliza o futuro do luxo, usando materiais sustentáveis; portanto, aqui estão pré-visualizados cedro carbonizado usado no piso e no controlador de direção e metal reciclado processado em fibras para criar a guarnição plissada da porta.

ReproduçãoForbes
Há uma interface de motorista altamente intuitiva que usa controle por gestos e realidade aumentada

Outra história interessante é a tecnologia avançada de controle de postura, que regula a potência de acionamento dos motores elétricos de alto torque para ajustar a postura do veículo de acordo com a sensibilidade humana. O sistema de direção por fio elimina a necessidade de uma conexão mecânica, permitindo um controle de giro mais flexível, dependendo das condições de condução, com uma sensação de direção mais precisa e alinhada com as intenções do motorista.

“Este é um carro-conceito superfuturista”, diz Ian Cartabiano, presidente e diretor de design da ED2. Sua equipe revelou à Forbes uma prévia completa do LF-30 e está claramente empolgada com essa visão da Lexus. Questionado sobre como definiria a marca na era da eletrificação, ele fala do conceito de “Emoção sem Costura”, que está no coração do design da Lexus no futuro.

Cartabiano explica: “Não é apenas a aparência do carro, mas como o cliente interage ele, como interagimos com o mundo exterior e como a tecnologia torna sua conexão com o veículo mais uniforme. Então, de uma maneira estética simples, como o carro transmite essa ideia de “sem costura”? Isso é um desafio. ”

ReproduçãoForbes
Ian Cartabiano, presidente e diretor de design da ED2

“Para este LF-30 conceito, a integração sem esforço se manifesta no momento em que vemos tudo se combinar de uma forma bonita, para que partes individuais não sobrecarreguem a natureza física do veículo”, explica. Cartabiano também observa a  importância de que o veículo tenha o interior e o exterior se comunicando harmoniosamente. “É o conceito manifestado de forma física. Chamamos este carro de um vislumbre do futuro do design da Lexus, e esperamos que alguns desses elementos estejam nos produtos antes de 2030. ”

A Lexus pode ser exploratória com seu design jovem no mundo automobilístico. Afinal, a marca tem apenas 30 anos, então, pergunto a Cartabiano se ele se beneficia da liberdade de não trabalhar com uma marca tradicional. “Uma das melhores partes de ser designer dessa empresa é que não temos essa herança de longo prazo para ser prisioneira. A arte de ‘Takumi’ e o conceito de ‘Omotenashi’ de hospitalidade agora se tornaram parte do nosso espírito de design. É ótimo ter a tradição japonesa como parte da nossa história”, diz ele antes de adicionar, “e como estúdio europeu, podemos aplicar uma visão europeia à execução do design. Então, a eletrificação nos permite criar algo novo.”

Cartabiano continua: “Nós nos esforçamos mais no projeto LF-30 para tentar redefinir o que a Lexus pode ser. Esse carro parece ter raízes japonesas, mas tem um gosto de design europeu aplicado a ele. A plataforma elétrica criou uma nova forma e perfil. É um Lexus, mas não parece nenhum Lexus atual. E esse é o papel do design, impulsionar uma marca”.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).