Os 10 museus mais estranhos do mundo

SITEMUSEU
Existem museus dedicados a quase tudo que você possa imaginar, inclusive pães, como o da foto acima

Resumo: 

  • Museus não estão relacionados apenas à exposição de pinturas e esculturas; 
  • De temas mórbidos, como funerais, a cotidianos, como a história do pão, há opções para todos os tipos de pessoas;
  • Conheça 10 museus inusitados para você programar suas próximas férias.

LEIA TAMBÉM: Os 4 museus mais instagramáveis do mundo

Existem museus dedicados a quase tudo que você possa imaginar – de bruxaria e vampiros a água da torneira, cortadores de grama e cabelos humanos.

Mas, se você é um apreciador de pinturas raras e relíquias pré-históricas, talvez essa não seja a lista mais recomendada, afinal ela inclui estabelecimentos ao redor do mundo que ostentam peças que podem ser classificadas entre a bizarrice e a diversão.

Veja a seguir os 10 museus mais estranhos do mundo:

Museu da Cultura do Pão, Ulm, Alemanha

O pão tem sido uma parte central da nossa dieta há séculos. No entanto, quase ninguém pensa no seu significado cultural, social ou religioso enquanto come uma deliciosa fatia na chapa ou um sanduíche de frango no almoço. No entanto, uma dupla alemã de pai e filho (Willy e Hermann Eiselen) entenderam, definitivamente, a importância sociocultural desse item básico da culinária. Tanto que eles decidiram construir o único museu dedicado aos mais de 6 mil anos de história do pão. Fundado em 1955, o museu abriga mais de 18 mil itens relacionadas à iguaria, incluindo ferramentas de cozimento usadas na Idade da Pedra. O local também abriga uma coleção de mais de 6 mil livros. Curiosamente, a única coisa que você não encontrará por lá é pão de verdade. Então, certifique-se de fazer uma boa refeição antes.

SiteMuseu
São mais de 18 mil itens relacionados a história do pão

Museu da Coleira de Cachorro, Kent, Inglaterra

Se você gosta de tudo o que é relacionado ao universo canino, considere visitar o único museu do mundo dedicado a coleiras de cachorros. Dentro do imenso Castelo de Leeds, em Kent, este museu único se orgulha de uma fascinante coleção de gravatas caninas usadas durante cinco séculos. Criado na década de 1970 pelo historiador irlandês John Hunt e sua esposa Gertrude, o peculiar estabelecimento tem mais de 130 coleiras raras e valiosas em exibição. A mais antiga, datada do século 15, é uma volumosa coleira de ferro coberta de espinhos grandes projetados para proteger os cães de caça de lobos e ursos. Lá você também encontrará colares dourados ornamentados do período
barroco, elegantes correntes do século 19 feitas de prata e muito mais.

Museu do Sistema Hidráulico de Pequim, China

Anteriormente conhecido como Museu da Água de Torneira, o Beijing Waterworks Museum é uma das atrações menos conhecidas da capital chinesa. O espaço nada convencional abriga a história do abastecimento de água encanada em Pequim, iniciado em 1908. Por meio de uma variedade de exposições que incluem mapas, fotografias, canos de água enferrujados, medidores e equipamentos antigos, o museu descreve como os sistemas de encanamento subterrâneo de Pequim foram desenvolvidos ao longo do tempo. Além de ser um monumento divertido, o local também lança luz sobre a escassez de água potável no planeta.

SiteMuseu
O sistema de abastecimento de água encanada em Pequim começou em 1908

Museu dos Vampiros e Criaturas Lendárias, Paris, França

Situado nos arredores de Paris, o Le Musee des Vampires and Legendary Creatures se concentra no mundo dos vampiros e de outras criaturas míticas e o lugar que ocupam no folclore e na cultura modernos. Fundado por Jacques Sirgent, um autoproclamado “vampirologista”, o museu particular apresenta uma coleção peculiar de exposições inspiradas pelos mortos-vivos. Os objetos em exibição incluem bestas, pinturas assustadoras, brinquedos de Drácula, um kit de proteção anti-vampiro, muitos livros antigos e um gato mumificado (sim, você leu certo!). Por ser um estabelecimento privado, é preciso marcar um horário online antes da visita.

Funeral Museum, Viena, Áustria

Apropriadamente localizado em uma cidade que abriga o segundo maior cemitério da Europa, o Funeral Museum possui uma coleção de quase 1 mil artefatos relacionados às tradições funerárias vienenses e rituais de luto. Espere encontrar exposições de uniformes que foram usados ​​pelos carregadores de carros funerários, coroas de flores, roupas de luto e uma urna em forma de bola de futebol. Existe até um caixão reutilizável com um alçapão embaixo, datado da década de 1780, que foi introduzido pelo imperador Joseph II para economizar madeira. Mas talvez o objeto mais estranho e assustador exibido lá seja uma campainha, juntamente com um dispositivo, que deve ser anexado à mão do falecido para que ele possa tocá-la se voltar à vida.

SiteMuseu
Além do museu, Viena também abriga o segundo maior cemitério da Europa

Museu Parasitológico de Meguro, Japão

Fundado pelo parasitologista Dr. Satoru Kamegai em 1953, o Museu Parasitológico Meguro abriga uma coleção de mais de 40 mil parasitas, 300 deles em exibição. O andar térreo abriga espécimes de diferentes insetos hospedeiros, enquanto o segundo andar é dedicado a parasitas que são conhecidos por infectar seres humanos. Lá também é possível encontrar mapas com os parasitas de cada região do país. Mas a principal atração é uma tênia de 8,8 metros, a mais longa do mundo. Além de uma grande variedade de bichos rastejantes, o museu também conta com 6 mil livros sobre a ciência dos parasitas. No final, uma pequena loja de presentes oferece camisetas, chaveiros e até cartões de aniversário com a temática.

Museu dos Términos de Relacionamento, Zagreb, Croácia

Criado pelos artistas croatas apaixonados por estrelas Dražen Grubišić e Olinka Vištica, este peculiar museu exibe – orgulhosamente – lembranças de relacionamentos que não foram “felizes para sempre”. A coleção de mais de 2 mil itens inclui ursinhos de pelúcia, cartões postais, cartas, isqueiros e lembranças mais incomuns, como a prótese de uma perna, uma garrafa cheia de lágrimas e um machado que foi usado para danificar os móveis de um marido infiel. Após a enorme resposta positiva dos visitantes, o Museum of Broken Relationships abriu uma segunda unidade em Los Angeles.

SiteMuseu
A coleção de mais de 2 mil itens inclui ursinhos de pelúcia, cartões postais, cartas, isqueiros e muito mais

Museu de Livros em Miniatura, Baku, Azerbaijão

Este museu ímpar, porém maravilhoso, encantará bibliófilos e entusiastas de arte em miniatura. Inaugurado em 2002, o local é uma criação de Zarifa Salahova, que passou mais de 30 anos colecionando edições em miniatura de mais de 6 mil obras em 65 idiomas diferentes. As pequenas edições em exibição incluem romances escritos por grandes nomes da literatura como Fyodor Dostoyevsky e Alexander Pushkin, para citar apenas alguns. As miniaturas mais antigas datam do século 17.

Museu Islandês de Feitiçaria e Bruxaria, Hólmavík, Islândia

A Islândia é o lar de uma boa parte de museus estranhos. O Museu de Feitiçaria e Bruxaria é um deles. Localizado na pequena cidade de Hólmavik, destaca a sombria história local da feitiçaria e seu lugar no folclore nativo. A coleção inclui uma variedade eclética de artefatos, varetas mágicas, crânios de animais, pedras ritualísticas usadas pelos vikings e feitiços como o dos demônios sugadores de leite chamados “tilberi”. O museu também compartilha com seus visitantes as histórias reais de pessoas que foram executadas por praticar bruxaria, como Jón Rögnvaldsson, o primeiro a ser queimado viva como resultado de um julgamento. Pense que a atração mais assustadora são os nábrók ou necropants, calças feitas, literalmente, da pele do cadáver de um homem. Não há como negar que esse museu não é para os fracos.

Museu do Cabelo, Avanos, Turquia

A região da Capadócia, na Turquia, é conhecida por muitas coisas maravilhosas, como o imponente Castelo Uchisar, as fascinantes chaminés de fadas e as lojas de cerâmica. Mas, se você está procurando algo mais peculiar, confira o Avanos Hair Museum – o único museu do mundo que exibe uma coleção exclusiva de cabelos humanos. Embora a ideia de paredes cobertas de fios possa fazer você se encolher de horror, a história original do lugar é emocionante. O dono da coleção, Galip Körükçü, especialista local em cerâmica, recebeu uma mecha de cabelo de sua amiga íntima como lembrança antes de deixar a cidade. Körükçü, então, pendurou o presente em sua loja. Ao longo dos anos, quando as visitantes ouviam sua comovente história, passaram a cortar e dar seus próprios cachos de cabelo como um sinal de bondade. Hoje, o museu tem mais de 16 mil mechas de cabelo em exposição, doadas por mulheres de todo o mundo.

Se quiser adicionar mais atrações excêntricas à sua lista de passeios, confira o Museu Internacional de Criptozoologia, em Portland, EUA; o famoso Museu Falológico da Islândia, em Reykjavik; o Museu Britânico do Cortador de Grama, em Southport, Inglaterra; e o Museu de Bad Art, em Massachusetts, EUA.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).