Os cinco melhores destilados para provar em 2020

Getty Images
A lista inclui gins, conhaques, runs e uísques

Conhaque, gim, bourbon, rum, amaro… o cenário atual é um paraíso para quem gosta de beber, com rótulos lindamente criados de praticamente todo o tipo de destilado de todas as partes do mundo. Alguns produtores usam séculos de de experiência de história enquanto outros estão começando a quebrar tradições.

Todo ano, sou anfitriã e convidada de diversos eventos de degustação. Esses momentos são minha oportunidade de perguntar aos convidados o que eles gostam e por que, e as cinco bebidas abaixo são as que receberam as melhores avaliações durante as degustações. Elas surpreenderam e agradaram, então seja para seu próprio drinque ou como um presente, elas são a escolha certa:

LEIA MAIS: Under 30 de alimentos e bebidas tem quatro chefsRoku Gin (Japão)

Assim como a maioria dos gins da Beam Suntory vindos do Japão, esse é balanceado e agradável. O aroma e o sabor têm os botânicos japoneses (como yuzu, chá Sencha, flores de cerejeira e pimenta sansho) como inspiração. Por isso, é tão popular. As notas tradicionais de zimbro são equilibradas com aroma de cascas de limão e laranja. Esse gim se destaca particularmente no Roku Rickey, um coquetel com suco de yuzu, xarope simples, água com gás e hortelã (ou folha de shiso). O perfil limpo e refrescante cai bem com o interesse popular por coquetéis com pouco açúcar.

Courvoisier 21 Year Cognac (França)

Feito inteiramente com uvas Grande Champagne, esse destilado passa mais de 20 anos envelhecendo em barris de carvalho –tempo o suficiente para desenvolver suas notas de damasco seco, cascas de laranja, caramelo com café e especiarias. A Courvoisier é a primeira fabricante de conhaques a lançar um produto com idade demarcado. Isso pode modelar o futuro da indústria de conhaques, e os degustadores que ouvi gostaram da ideia. Eles também apreciaram o final sedoso com notas de avelã e gengibre da bebida.

VEJA TAMBÉM: Indústria de bebidas dá 1º passo em direção à maconha

Remus Repeal Reserve Series III (EUA)

Um dos uísques mais populares nas degustações desse ano foi esse Remus, da MGP Distillers, em Indiana, nos Estados Unidos. A destilaria fica no topo de um maravilhoso aquífero que fornece galões de água filtrada, e que abastece uma das reservas de uísque mais incríveis da nação. Realmente, seus produtos são deliciosos, tanto que produtores boutique como Templeton e Bulleit usam centeio da MGP. Com uma mistura de uísques 11 e 12 anos, a paleta desta bebida tem notas ricas de laranja, caramelo e especiarias.

Nonino Amaro (Itália)

Essa é uma fabulosa junção de ervas e álcool da família Nonino e é quase sempre a vencedora entre aqueles preferem evitar notas mais apimentadas de uísques. A receita é um segredo de família, mas sabemos que inclui ervas e elementos botânicos como raiz de genciana, açafrão, alcaçuz, ruibarbo, laranjas doce e amarga, e tamarindo. O começo é suave, com notas de chocolate amargo, caramelo com café e casca de laranja com ervas, e o final traz um amargo agradável e especiarias. Ele é viciantemente gostoso, mas tem teor alcoólico de 40%, então, cuidado não se deixe levar. Absolutamente perfeito com sobremesas com chocolate amargo.

Appleton Estate 21 Year Rum (Jamaica)

Após 21 anos envelhecendo em condições úmidas e quentes, esse rum desenvolveu uma complexidade enorme que se mostra em cada gole. Notas ricas de caramelo, baunilha e couro podem fazê-lo pensar que se trata de um conhaque, mas os aromas suaves e doces de caramelo com café sugerem o contrário. Não tão doce quanto outros runs envelhecidos, mais balanceado, atrai os fãs de uísque, e por isso recentemente entrou para o Top 100 de destilados de 2019 da “Wine Enthusiast”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).