6 capitais subestimadas que deveriam estar no seu roteiro de viagem

ReproduçãoForbes
Kiev, na Ucrânia, é conhecida como a “cidade das cúpulas douradas”

Ainda existem, felizmente, muitos lugares de tirar o fôlego que permanecem fora da maioria das listas imperdíveis para turistas. Como as reclamações sobre o excesso de turismo em alguns dos principais pontos do mundo continuam a crescer, este é o momento ideal para sair do trivial e visitar cidades que sempre acabam ficando de fora dos holofotes – apesar de suas muitas qualidades.

Veja, na galeria de fotos a seguir, algumas das melhores e mais subestimadas capitais do mundo:

LEIA TAMBÉM: Viagem diferentona: 10 melhores destinos pouco convencionais para 2020

  • Ottawa, Ontário (Canadá)

    Toronto costuma ser confundida como a capital do Canadá, mas é Ottawa, a cerca de 402 quilômetros a nordeste, que detém o título. Esta capital multicultural e aconchegante, com apenas 1 milhão de pessoas, pode ser considerada um destino imperdível. É o lar do Museu Canadense de História (o mais visitado do país, que abriga uma incrível coleção de totens), dos prédios históricos do parlamento e do movimentado Mercado ByWard. No inverno, visite o amado Rideau Canal, um Patrimônio Mundial da UNESCO que se transforma na maior pista de patinação natural do mundo.

  • Zagreb (Croácia)

    Majestoso seria a melhor palavra para descrever essa capital muito pouco visitada. Antigas luzes de gás (usadas desde o século 19) iluminam o centro da cidade, alinhadas com uma requintada arquitetura barroca e renascentista e praças e caminhos exclusivos para pedestres. O recém-inaugurado Museu de Arte Contemporânea é um dos destaques da cidade. Não saia de lá sem descer pelo enorme escorregador – uma instalação de arte interativa da renomada artista Carsten Holler que faz com que crianças e adultos formem fila para experimentar.

  • Seul (Coreia)

    Seul é frequentemente ofuscada por outros destinos do norte da Ásia, como Pequim, Hong Kong e Tóquio, mas os viajantes não fazem nenhum favor a si mesmos ao deixar esta cidade amigável e fascinante fora da lista de desejos. Seul pode competir com Singapura como uma “meca comercial”. Possui uma paisagem montanhosa bonita e pode reivindicar, com razão, alguns dos palácios mais requintados da Ásia. Não deixe de dar um passeio ao longo do córrego Cheonggyecheon, uma passarela exuberante abaixo do nível da rua no centro da cidade – é um dos exemplos mais bem-sucedidos e ecologicamente corretos de embelezamento de cidades na Ásia.

  • Liubliana (Eslovênia)

    Liubliana é a verdadeira Paris da Europa Oriental. No centro da cidade, encontra-se uma variedade interminável de cafés, bistrôs e bares de vinho encantadores que revestem o pitoresco rio Ljubljanica e são agraciados pelo Castelo de Ljubljana, uma obra-prima medieval situada no topo de uma colina que comanda o horizonte. Ruas de paralelepípedos – apenas para pedestres -, uma infinidade de pontes intricadas e arquitetura exuberante de art nouveau: todos esses elementos atuam juntos para dar à cidade um cenário de conto de fadas com a qualidade que poucas capitais possuem.

  • Sófia (Bulgária)

    Embora a Europa Oriental seja um dos destinos mais badalados do mundo, a Bulgária continua fora do radar do turista – o que é bom para os viajantes que procuram uma joia não descoberta. É uma cidade perfeita para os entusiastas da história e da arquitetura: as antigas muralhas bem preservadas (do século 7 a.C.) ainda permanecem e o Museu Arqueológico tem algumas das melhores coleções do mundo de monumentos trácio, romano e grego. Mas o que rouba a cena é a enorme Catedral de Alexander Nevski, com uma cúpula banhada a ouro – uma obra-prima arquitetônica que certamente o deixará sem fôlego. E não saia sem visitar o mercado de pulgas que funciona todos os dias em frente à catedral: é pequeno, mas apresenta ícones únicos, antiguidades da área comunista e armas militares.

  • Kiev (Ucrânia)

    Muitas vezes chamada de a “cidade das cúpulas douradas”, Kiev é a mãe da civilização eslava oriental. Nesta cidade subestimada, você pode passear alegremente por horas sem medo de lutar contra outros turistas por espaço. Não deixe de visitar o mosteiro de São Miguel, com cúpula azul e dourada, nomeado em homenagem ao santo padroeiro de Kiev. A cidade é rica em arquitetura deslumbrante, igrejas maravilhosas e restaurantes ucranianos autênticos. O incomparável Kyiv-Pecherska Lavra, patrimônio da UNESCO do século 11, o manterá encantado por horas com sua extensa rede subterrânea.

Ottawa, Ontário (Canadá)

Toronto costuma ser confundida como a capital do Canadá, mas é Ottawa, a cerca de 402 quilômetros a nordeste, que detém o título. Esta capital multicultural e aconchegante, com apenas 1 milhão de pessoas, pode ser considerada um destino imperdível. É o lar do Museu Canadense de História (o mais visitado do país, que abriga uma incrível coleção de totens), dos prédios históricos do parlamento e do movimentado Mercado ByWard. No inverno, visite o amado Rideau Canal, um Patrimônio Mundial da UNESCO que se transforma na maior pista de patinação natural do mundo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).