O que o cancelamento da Baselworld, em janeiro de 2021, significa para o mundo dos relógios

ReproduçãoForbes
O boato entre as marcas é que a gerência da feira está considerando várias opções, incluindo novo nome, novo local e, definitivamente, nova época

Em um anúncio ontem (7), o MCH Group, administrador da exposição Baselworld, disse que o evento internacional de relógios e joias programado para o período de 28 de janeiro a 2 de fevereiro de 2021, não será mais realizado. Em vez disso, o MCH Group está examinando outras plataformas de exibição. 

De acordo com Michel Loris-Melikoff, diretor administrativo da Baselworld, “estamos trabalhando intensamente para esclarecer e discutir os requisitos e opções para novas plataformas”.

LEIA MAIS: Grandes marcas como Rolex e Chanel anunciam saída da Baselworld e estabelecem novo evento relojoeiro

Novos planos, nova cidade?

O boato entre as marcas é que a gerência da feira está considerando várias opções, incluindo novo nome, novo local e, definitivamente, nova época. A organização do evento pareceu apressar o anúncio de que iria realizar a exposição em janeiro de 2021 –sem levar em conta o fato de que o outro grande evento, o Watches & Wonders Geneva, aconteceria em abril de 2021.

A esperança era que os dois eventos acontecessem simultânea ou consecutivamente, para que os visitantes internacionais tivessem de fazer apenas uma viagem até a Suíça. Esse era o plano para 2020, antes que as duas exposições fossem canceladas como resultado da Covid-19. Na verdade, a Baselworld nunca anunciou seu cancelamento para 2020 e, em vez disso, declarou que estava adiando –reagendando imediatamente o programa para janeiro de 2021. A corrida para ser a “primeira” na programação de 2021 foi um fator que contribuiu para a queda da exposição, pois o momento não se adequava à maioria das marcas expositoras devido a conflitos com outras programações globais de shows.

Resultados do cancelamento em 2020

Além disso, e em grande parte por causa de suas políticas e preços, a Baselworld perdeu expositores de grandes marcas para 2021 devido a uma série de fatores. As marcas Rolex, Patek Philippe, Chopard, Chanel, LVMH TAG Heuer, Hublot, Zenith e Bulgari anunciaram recentemente sua saída da Baselworld –deixando a feira sem suas marcas clássicas.

Também houve preocupação entre os expositores e a administração em relação aos reembolsos da exposição de 2020. Rumores diziam que o MCH Group não iria emitir reembolsos ou que apenas daria pequenas porcentagens, a menos que as marcas concordassem em participar da exposição de 2021.

No anúncio de hoje, o MCH Group disse que chegou a um acordo para o evento cancelado de 2020. Embora pareça que as marcas maiores que saíram da Baselworld concordaram em receber um reembolso muito menor, para que outros expositores puderam recuperar porcentagens maiores de suas perdas.

“Parabenizo a atitude construtiva dos representantes do Grupo MCH, que nos permitiu encontrar uma solução equilibrada”, diz Hubert J. du Plessix, presidente do Comitê de Expositores Suíços (e também funcionário da Rolex há muito tempo). “Gostaria também de agradecer a Patek Philippe, Rolex, Tudor, Chanel, Chopard, Hublot, Zenith e Tag Heuer, que, em um espírito de solidariedade com o setor como um todo, concordaram em um reembolso menor para que os outros expositores pudessem se beneficiar de melhores condições.”

Pela primeira vez em muito tempo, Bernd Stadlwieser, CEO do MCH Group, comentou sobre a situação: “À luz da grande perda de receita devido à Covid-19 e de nossa responsabilidade para com todos os grupos de partes interessadas, esta solução marca o limite do que é possível para nós. Com o acordo amigável para a Baselworld 2020, agora podemos nos concentrar totalmente no futuro”.

O futuro do Baselworld e das exposições de joias e relógios

Esse futuro, porém, é bastante questionável. A gerência do evento diz que planeja algumas ideias sobre formatos alternativos. Mas nenhuma menção foi feita ao tipo de plataforma ou datas em potencial.

De acordo com especialistas da Suíça, o programa está lutando com a ideia de realizar uma exposição em outro lugar que não a Basileia, que há muito tempo está sendo criticada por expositores e visitantes por suas taxas incrivelmente elevadas de hotéis e restaurantes durante o programa. Talvez o evento até use um novo nome em um esforço para fazer com que a antipatia diminua.

VEJA TAMBÉM: Setor de luxo enxerga no novo coronavírus uma oportunidade para acelerar mudanças

As grandes marcas que anunciaram recentemente sua saída da Baselworld declararam que estavam pensando em realizar um novo evento em Genebra ao mesmo tempo que o Watches & Wonders. Nada mais foi anunciado sobre seus planos, até o momento.

Além disso, espera-se que uma série de marcas menores, que geralmente ocupam espaço em hotéis durante o Watches & Wonders (anteriormente SIHH), continue essa tradição –apresentando seus novos relógios em abril. No entanto, há rumores de que o espaço preferido em hotéis está rapidamente se tornando escasso devido a todas as grandes marcas que reservam grandes blocos de quartos.

Ainda assim, por enquanto, a indústria de relógios –varejistas, colecionadores e marcas– espera que abril em Genebra seja o local ideal. No entanto, existe a dura realidade de que, em abril de 2021, o coronavírus pode estar atingindo o mundo com uma segunda ou terceira onda de vírus que, se nenhuma vacina tiver sido desenvolvida, causará o cancelamento das exposições de qualquer maneira.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).