Grandes marcas como Rolex e Chanel anunciam saída da Baselworld e estabelecem novo evento relojoeiro

ReproduçãoForbes
A administração da famosa feira optou por reagendar o evento para janeiro de 2021 sem perguntar aos expositores

Em um movimento sem precedentes, cinco grandes marcas de relógios se uniram para anunciar sua saída da Baselworld 2021. Rolex, Patek Philippe, Chanel, Chopard e Tudor, marca-irmã da Rolex, juntas anunciaram planos de sair da Baselworld –até agora a maior exposição de relógios do mundo– no próximo ano. O comunicado (divulgado pela Rolex) não surpreende –visto que cartas abertas sobre os planos da feira e reembolsos por parte da organização, entre outras coisas, foram recorrentes na semana passada.

O que é intrigante, no entanto, é o fato de que Rolex, Patek, Chopard e outras grandes marcas estão trabalhando com a Fondation de la Haute Horlogerie (Fundação de Alta Relojoaria; FHH, na sigla em francês) para criar um novo evento em abril de 2021 para varejistas, imprensa e colecionadores. Essa feira poderá estar ligada à exibição da Watches & Wonders, programada para ocorrer durante o mesmo período. De acordo com o comunicado divulgado em conjunto pelas marcas, outras empresas também podem participar desta exposição. A FHH ainda não divulgou o anúncio formal dos planos.

A FHH é o grupo que organiza o que, até este ano, foi conhecido como Salon International de la Haute Horlogerie (Salão Internacional da Alta Relojoaria; SIHH, na sigla em francês). Este ano, o evento foi renomeado para Watches & Wonders, que aconteceria neste mês, mas foi cancelado devido à Covid-19. A SIHH era considerada a exposição mais prestigiada, com todo o Grupo Richemont se exibindo lá, juntamente com as principais marcas independentes. 

Da mesma forma, a Baselworld, que estava programada para começar em 29 de abril, também foi cancelada devido à pandemia. Houve uma grande disputa entre o MCH Group, que administra a feira, e as grandes marcas, chegando a envolver políticas de reembolso para o evento cancelado de 2020. O chefe do Comitê de Expositores do evento, Hubert du Plessix, também executivo da Rolex, escreveu uma carta na semana passada pedindo um estorno a ser emitido aos expositores e indicando que, caso contrário, “tememos que este seja o fim, puro e simples, da Baselworld. ”

LEIA TAMBÉM: Rolex celebra 100 anos de fundação na Suíça

Aparentemente, a administração da feira também optou por reagendar o evento para janeiro de 2021 sem perguntar aos expositores. As datas estão em conflito com uma série de outras exposições de joias e relógios em todo o mundo.

No comunicado, executivos de quatro das marcas incluíram seus comentários.

De acordo com Jean-Frederic Dufour, CEO da Rolex: “Participamos da Baselworld desde 1939. Infelizmente, dada a evolução do evento e as recentes decisões tomadas pelo MCH Group, apesar do grande apego que temos pelo evento, decidimos acabar com a parceria. Após as discussões iniciadas pela Rolex, parecia natural criar um novo show com parceiros que compartilham nossa visão e nosso apoio inabalável ao setor relojoeiro suíço. Isso nos permitirá apresentar nossos novos relógios alinhados com nossas necessidades e expectativas, para unir forças e defender melhor os interesses da indústria.”

A Patek Philippe expõe na Baselworld há décadas e há muito tempo é um pilar do evento. A decisão de sair não foi tomada de forma impulsiva. Segundo Thierry Stern, presidente da empresa, “a decisão de deixar a Baselworld não foi fácil de ser tomada por mim, sendo a quarta geração da família Stern a participar deste tradicional evento anual. Precisamos constantemente nos adaptar e questionar o que fazemos, já que o que estava certo ontem pode não ser necessariamente válido hoje. Hoje, a empresa não está mais de acordo com a visão da Baselworld, houve muitas discussões e problemas não resolvidos, a confiança não está mais presente. Precisamos atender às necessidades legítimas de nossos varejistas, clientes e imprensa de todo o mundo. Eles precisam descobrir os novos modelos dos relojoeiros suíços a cada ano, ao mesmo tempo, em um só lugar, e da maneira mais profissional possível. Por esse motivo, após várias discussões com a Rolex e de acordo com outras marcas participantes, decidimos criar, juntos, um evento único em Genebra, representativo do nosso savoir-faire”.

Em uma nota semelhante, Karl-Friedrich Scheufele, CEO da Chopard, lembrou a história de exibição da marca na Baselworld, que remonta a mais de meio século. Ele ressaltou ainda mais o compromisso da marca em criar um novo show para concorrer com a Watches & Wonders e continuar a mostrar o artesanato secular da relojoaria. “A Chopard foi exibida pela primeira vez na feira de Basileia em 1964, com um estande de cerca de 25 metros quadrados. Após cuidadosa consideração, nossa família decidiu apoiar a iniciativa Rolex e se aposentar da Baselworld –uma decisão dolorosa. A criação deste novo evento em Genebra, paralelamente à Watches & Wonders, nos permitirá atender melhor nossos parceiros de relojoaria e nossos clientes”.

Frédéric Grangié, presidente da Chanel Watches & Fine Jewelry, disse: “Como seus parceiros, a Chanel compartilha a mesma independência e o mesmo desejo de proteger e promover os valores, o know-how, a máxima qualidade e precisão da relojoaria suíça. Esta iniciativa representa um marco na história da relojoaria Chanel e faz parte de uma estratégia de longo prazo, iniciada com o lançamento dessa atividade em 1987.”

A FHH ainda não se pronunciou formalmente, indicando que fará um anúncio separado nas próximas semanas. No entanto, Jérôme Lambert, CEO do Richemont Group, disse em nome do Conselho da FHH: “A FHH tem o prazer de receber um novo salão que fortalecerá o histórico evento Watches & Wonders em Genebra no próximo ano, no início de abril.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).