Por que a Rolls-Royce tem feito mel e a Lexus origami durante a quarentena

Reprodução Forbes
O mel Rolls é produzido em seis colmeias inglesas tradicionais de madeira, cada uma com uma placa de identificação em aço inoxidável polida artesanalmente

Não seria exagero dizer que esse momento é único. A pandemia estipulou uma pausa na vida cotidiana. O resultado é mudança nas relações profissionais e pessoais, e empresas em busca de maneiras inusitadas para continuar em ação. O isolamento para quem trabalha com público e geralmente está na estrada, visitando pessoas, empresas e participando de exposições e conferências tem seus desafios. No entanto, a verdadeira prova de fogo é para aqueles cuja renda depende da interação com clientes e produção.

Muitas empresas automotivas têm usado bem seu tempo em confinamento. Algumas estão envolvidas na produção de recursos médicos e equipamentos de proteção individual para os times que tratam pacientes com Covid-19. Com a fabricação de carros interrompida durante a maior parte de março e abril e apenas no começo da retomada das atividades, algumas marcas também estão envolvidas em exclusivos projetos criativos.

VEJA TAMBÉM: Rolls-Royce encabeça projeto que pretende lançar avião elétrico

Na Rolls-Royce Motor Cars, cuja sede fica na abundante paisagem de West Sussex, ao sul da Inglaterra, a criadora dos carros mais singulares tem produzido mel. Como você pode imaginar, esse não é um produto comum. Trata-se do mel mais exclusivo do mundo. É o néctar das abelhas inglesas que deixam suas colmeias de inverno para pousar nas 500 mil árvores, arbustos e flores silvestres que florescem em todo o entorno da Rolls-Royce, bem como nas suculentas que crescem na cobertura verde da fábrica. As mais corajosas do exército de 250 mil insetos se aventuram ainda mais, nos confins da Goodwood Estate.

Em sua terceira safra, o projeto do apiário de Goodwood é uma resposta à séria ameaça que a população de abelhas enfrenta. O mel Rolls é produzido em seis colmeias inglesas tradicionais de madeira, cada uma com uma placa de identificação em aço inoxidável polida artesanalmente na oficina bespoke da montadora. Elas são nomeadas de acordo com as famílias de produtos: Phantom, Wraith, Ghost, Dawn e Cullinan e, a última, Spirit of Ecstasy, em homenagem ao mascote da marca.

Reprodução Forbes
A Phantom Rose é uma rosa branca-creme, que oferece um botão de 50 pétalas e um rico perfume

Em outra planta, uma rara Phantom Rose é cultivada no pátio da Casa da Rolls-Royce, criada exclusivamente pela marca como fonte de inspiração para a equipe de design do estúdio Bespoke Collective. A criação é do produtor de rosas Philip Harkness, da Harkness Roses, cuja família produz a flor desde 1879 e ostenta 25 medalhas de ouro da mundialmente famosa mostra RHS Chelsea Flower Show.

A Phantom Rose é uma rosa branca-creme, que oferece um botão de 50 pétalas e um rico perfume. Harkness a descreve como uma flor essencialmente inglesa, que levou oito anos para se desenvolver. Ela cresce em uma cama especialmente projetada, com ramos de lavanda que correm ao longo das lagoas adjacentes à fábrica da marca, que possui uma vista incrível, um design altamente sustentável do arquiteto Sir Nicholas Grimshaw. O posicionamento permite que a equipe de criação possa visualizar o canteiro de rosas através do vidro que vai do chão ao teto da construção.

Reprodução Forbes
Lexus promove o desafio do origami em homenagem aos artesãos takumi da marca

Já a Lexus, marca japonesa premium, tem executado alguns programas educacionais interessantes. Primeiro veio o desafio do origami em homenagem aos artesãos takumi da empresa que trabalham na pintura dos carros e na decoração dos interiores. Tornar-se um takumi envolve pelo menos um quarto de século de experiência: os profissionais dedicados ao artesanato são avaliados de várias maneiras, inclusive na arte do origami. Eles são literalmente desafiados a criar um gato de origami com sua mão não dominante em menos de 90 segundos. No final de abril, a Lexus UK lançou um concurso para qualquer pessoa interessada em aceitar o desafio takumi. O prêmio para o criador do melhor gato de origami foi o uso exclusivo de um Lexus LC 500h por uma semana –após o isolamento, é claro.

E AINDA: Toyota Supra 2020 tem ar de desenho animado das manhãs de sábado

Reprodução Forbes
SUV UX adornado pela artista Claudia De Sabe

Em outra celebração da arte do artesanato, após a recente revelação de um SUV UX adornado pela artista Claudia De Sabe, a Lexus está convidando as pessoas a criar seus próprios desenhos para automóveis. Uma obra de arte será selecionada de uma lista restrita de oito participantes e será revelada em toda a sua glória em um Lexus UX usando um adesivo de vinil.

Reprodução Forbes
Modelo BMW Concept i4 pelo fotógrafo Clemens Ascher

A BMW continua sua brilhante iniciativa para os funcionários com o “CultureMobile: The Literature Podcast”. O projeto oferece leituras interessantes de literatura para sua força para seus trabalhadores em todo o mundo e para a comunidade da marca em geral. A anual BMW Art Journey segue em curso com o projeto vencedor deste ano do artista Lu Yangis.

Enquanto isso, a marca contratou Clemens Ascher para apresentar o BMW Concept i4 sob uma ótica artística. O fotógrafo e artista visual austríaco parece ter se divertido com a apresentação do modelo que antecede um próximo veículo elétrico de porte médio. Ele transporta o i4 para uma paisagem visual imaginária e fantástica que coloca o modelo em um pano de fundo de arquitetura grandiosa e formas geométricas estritas. O esquema de cores poderia sugerir o pôr do sol e a promessa de um novo dia, um futuro melhor e, esperançosamente, livre da Covid-19.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).