Turismo pós-coronavírus: 5 inaugurações de hotéis aguardadas para 2020

Reprodução Forbes
Reprodução Forbes

Villa no Zannier Hotels Bãi San Hô, no Vietnã, que será inaugurada em dezembro

O boom de hotéis dos últimos anos colocou uma série de propriedades de luxo em locais atraentes no pipeline das inaugurações de 2020. Obviamente, a pandemia de coronavírus e a consequente desaceleração mundial nas viagens atrasaram muitas dessas aberturas. Porém, a maioria continua com as datas de conclusão e inauguração previstas para até o final deste ano, quando é esperado que a capacidade e o desejo de viajar, de maneira otimista, sejam retomadas para lazer, se não para viagens de negócios.

Pesquisas recentes realizadas pela operadora de viagens Overseas Leisure Group revelam que 73% de 2.000 possíveis viajantes consultados em abril estão começando a pensar em suas próximas férias e 35% deles o farão logo no próximo semestre. A empresa de pesquisa Piplsay entrevistou 30.787 americanos e descobriu que 46% estão prontos para viajar assim que o bloqueio por conta da Covid-19 terminar. A agência de publicidade BVK também divulgou os resultados da pesquisa, revelando que os turistas buscarão destinos mais isolados e, talvez como resultado das quarentenas familiares, o interesse em viagens familiares diminua 10%. E como as empresas de jato particular estão crescendo, o interesse em voos particulares tem aumentado.

VEJA TAMBÉM: Conheça 6 aulas online ministradas por luxuosos hotéis ao redor do mundo

Veja, na galeria de imagens a seguir, cinco inaugurações de hotéis esperadas para este ano:

  • Six Senses Shaharut, em Israel

    O Six Senses Shaharut, a primeira propriedade da marca em Israel, está programada para ser inaugurada em setembro no Vale do Arava, no sul do deserto do Negev. As atividades fora da propriedade incluem safaris de jipe ​​ou camelo em paisagens bíblicas acidentadas, explorações arqueológicas, caminhadas em dunas com beduínos (árabes do deserto) e excursões ao mar Vermelho.

    Na propriedade, os tratamentos de spa de marca registrada do grupo que combinam influências ocidentais e orientais são o foco. Os 60 quartos e suítes também têm referências locais, situados em edifícios contemporâneos modelados nas estruturas nômades da comunidade nabateu que habita essa área há milhares de anos. Os interiores são decorados com materiais naturais –cobre, pedra e madeira– móveis feitos por artesãos da região para complementar as formações rochosas irregulares do lado de fora. Os restaurantes também são locais, com pratos israelenses e mediterrâneos criados com ingredientes da horta do resort e de agricultores de kibutz (comunidades israelenses autônomas) próximos.

    Reprodução Forbes
  • Bãi San Hô, no Vietnã

    O Bãi San Hô da Zannier Hotels, localizado em uma propriedade à beira-mar de mil metros quadrados, cercado por jardins e colinas em uma península no sul do Vietnã, deve ser inaugurado em dezembro. Isoladas, fora dos roteiros mais conhecidos e particulares, suas 71 villas e apartamentos são independentes e projetados em estilos tradicionais, dois com elementos associados a tribos locais, o outro aos moldes dos chalés de pescadores, construídos sobre palafitas ao lado das plantações de arroz da propriedade. Todos são construídos com materiais naturais –telhados verdes com madeira, pisos de bambu e paredes de barro.

    Como a propriedade faz fronteira com um extenso recife de coral, as atividades aquáticas são o foco, assim como as visitas às aldeias e templos locais. Os restaurantes propõe uma variedade de pratos de todo o país, versões contemporâneas de refeições clássicas e frutos do mar frescos, servidos em cabanas com vista para a baía.

    Reprodução Forbes
  • Xigera, em Botsuana

    O Xigera da Red Carnation Hotels, na Reserva de Caça Moremi, em Botsuana, está quase completo e planeja receber hóspedes assim que as restrições de viagem ao país terminarem, presumivelmente entre setembro e outubro. O diferencial da propriedade em relação a muitos outras hospedagens de safári é a arte e design: as villas com ar-condicionado, com 1.200 metros quadrados e energia solar, são modeladas na forma de uma espécie de coruja encontrada na África (corujão-pesqueiro-de-pel) e decoradas com móveis artesanais criados por 30 artistas africanos.

    Um extenso menu de spa aumenta a sensação de paz proporcionada pela região, com vista para a planície inundada. As atividades guiadas serão agendadas no horário de preferência do hóspede, não nos horários rígidos geralmente oferecidos na maioria dos campos de safári. E, para aqueles que realmente querem estar em harmonia com o ambiente, a propriedade oferece uma casa na árvore de três andares, dez metros acima do chão, em um baobá, fica a cerca de 1,6 km de distância para que os hóspedes durmam ao ar livre e acordem ao sons da vida selvagem e vistas de 360 ​​graus.

    Reprodução Forbes
  • Alila Hinu Bay, em Omã

    Com inauguração prevista para o final do ano, este resort na região de Dhofar, na costa sudoeste de Omã, tem localização isolada em uma praia natural de área com marcos arqueológicos. A propriedade é cercada por falésias acidentadas, assim como várias formas de fauna marinha, que incluem espécies de golfinhos no Oceano Índico. O design é minimalista e, embora o número de acomodações seja bastante grande (112) elas são todas villas independentes. Dezesseis unidades contam com piscinas próprias.

    Reprodução Forbes
  • Amangiri, nos EUA

    O Amangiri da Camp Sarika Aman tem atraído visitantes para os desfiladeiros de Utah na última década. No decorrer deste ano, provisoriamente em julho, embora isso possa mudar, o resort tem trabalhado em uma expansão. O Camp Sarika é íntimo, apenas dez pavilhões de tendas (cinco com 175 metros quadrados e um quarto; cinco com 262 metros quadrados e dois quartos), cada um com uma piscina de imersão em uma área de 550 mil metros quadrados, cercada por vida selvagem e chapadas. Os hóspedes têm acesso total a todos os recursos do Amangiri em até 30 minutos de caminhada mas, como seu próprio restaurante, suítes de spa para tratamentos com práticas Navajo de bem-estar, piscina principal e jacuzzi. A região conta com cinco parques nacionais para explorar, passeios a cavalo com vistas para as formações rochosas, observação das estrelas e fogueiras durante a noite.

Six Senses Shaharut, em Israel

O Six Senses Shaharut, a primeira propriedade da marca em Israel, está programada para ser inaugurada em setembro no Vale do Arava, no sul do deserto do Negev. As atividades fora da propriedade incluem safaris de jipe ​​ou camelo em paisagens bíblicas acidentadas, explorações arqueológicas, caminhadas em dunas com beduínos (árabes do deserto) e excursões ao mar Vermelho.

Na propriedade, os tratamentos de spa de marca registrada do grupo que combinam influências ocidentais e orientais são o foco. Os 60 quartos e suítes também têm referências locais, situados em edifícios contemporâneos modelados nas estruturas nômades da comunidade nabateu que habita essa área há milhares de anos. Os interiores são decorados com materiais naturais –cobre, pedra e madeira– móveis feitos por artesãos da região para complementar as formações rochosas irregulares do lado de fora. Os restaurantes também são locais, com pratos israelenses e mediterrâneos criados com ingredientes da horta do resort e de agricultores de kibutz (comunidades israelenses autônomas) próximos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).