Diretor e CEO da Aman, Vladislav Doronin fala sobre lançamentos da rede nos EUA e futuro do turismo

Em conversa com a Forbes, o executivo revelou detalhes da carreira e explicou como a rede de hotéis pretende cativar mais clientes.

Cécilia Pelloux
Compartilhe esta publicação:
Aman/Divulgação
Aman/Divulgação

Em conversa com a Forbes, o executivo revelou detalhes da carreira e explicou como a rede de hotéis pretende cativar mais clientes

Acessibilidade


Vladislav Doronin é o homem por trás da marca de resorts mais proeminente do mundo, a Aman. Um talentoso investidor internacional e desenvolvedor imobiliário focado em propriedades residenciais, comerciais e de hospitalidade de luxo, ele também é fundador da Capital Group, empresa de desenvolvimento imobiliário líder de mercado, além de presidente e CEO do OKO Group.

LEIA MAIS: Dra. Ludhmila Abrahão Hajjar afirma: “é possível salvar muitas vidas através da informação adequada”

Sua infância em São Petersburgo o preparou para ter sede de viagens e aventuras. São Petersburgo, a maravilhosa capital histórica e cultural da Rússia, foi construída por Pedro, o Grande, no início dos anos 1700. Seu objetivo era erigir a cidade mais bonita da Europa. Doronin cresceu lá e se viu cercado pela bela arquitetura barroca e neoclássica, o melhor balé e ópera do mundo, no Teatro Mariinsky, e no Hermitage, uma das maiores, mais variadas e valiosas coleções de arte e artefatos históricos do mundo. Dizem que, se você passar um minuto olhando cada peça do Hermitage, levará 11 anos para ver a coleção inteira. Esta coleção acumulada ao longo dos séculos em todo o mundo deu a Vladislav Doronin um profundo desejo de viajar e explorar. Então, o que podemos aprender com sua visão e carreira excepcionais?

FORBES: É verdade que você deixou a Rússia na década de 1980 com apenas US$ 250 na conta?

Vladislav Doronin: Aproximadamente US$ 250, não fiz ajustes de inflação. Era o máximo que você poderia levar quando deixava o país naquela época.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

F: Você poderia contar sobre sua carreira antes da Aman? Como você decidiu passar para o comércio de commodities e depois para o desenvolvimento imobiliário?

VD: Foi por acaso e por sorte. Tive a sorte de conhecer um indivíduo que me contratou para trabalhar em sua empresa de commodities. Estava aprendendo a negociar metais e petróleo na época, aprendi muito e comecei a negociar. Meus turnos eram muito longos, eu era sempre a primeira pessoa a chegar ao escritório de manhã e a última a sair à noite, queria passar uma boa impressão e ter sucesso.

Durante meu tempo de trabalho como trader, as coisas mudaram dramaticamente na Rússia. Alguns de meus contatos comerciais me perguntaram se eu poderia ajudá-los a construir novos escritórios em Moscou. Trabalhei com empresas internacionais como IBM e Phillip Morris e uma empresa de petróleo russa para construir grandes escritórios na capital russa. Com esses negócios, tive muito sucesso e vi uma oportunidade de continuar me desenvolvendo. Inicialmente trabalhei com imóveis comerciais, mas depois diversifiquei para residenciais.

Ao longo dos anos, acabei desenvolvendo sete milhões de metros quadrados em propriedades e mais de 70 projetos. Trabalhei com muitos arquitetos e designers de interiores famosos, incluindo Zaha Hadid, SOM, NBBJ, AS + GG, Hani Rashid, Massimo Iosa Ghini e Jacques Grange.

F: E por que você queria uma marca de hotel como a Aman?

VD: Eu estava construindo vários projetos multifuncionais na cidade de Moscou e achei que seria útil ter uma marca bem respeitada para ajudar a fornecer serviços para imóveis residenciais, mas ao mesmo tempo receber receita de um hotel.

É muito difícil adquirir um conjunto de resorts como este, especialmente com 13 propriedades localizadas em locais de patrimônio da Unesco. Para começar do zero, seriam necessários mais de 30 anos. Quando a Aman chegou ao mercado, eu já era um grande fã da marca, tendo me apaixonado pelo Amanpuri quando o visitei nos anos 1990, e queria diversificar meu portfólio. Eu estava construindo em Miami, procurando oportunidades em Nova York e fechando negócios na Ásia –sabia que fazia sentido ter uma marca estabelecida e foi por acaso que minha marca favorita chegou ao mercado.

F: Você está conseguindo sucesso no ramo desde que comprou a Aman?

VD: Quando comprei a Aman, a empresa possuía 27 hotéis, agora estamos com 33 e temos mais 21 em desenvolvimento. Ampliamos nossos serviços, como o Aman Private Jet, que pode ser fretado pelos hóspedes. Nossas instalações de spa e bem-estar foram ampliadas e aprimoradas. Por exemplo, renovamos o spa e a academia de Amanpuri melhorando suas instalações, adicionando um Centro de Bem-Estar Holístico, que oferece novos serviços médicos.

Como continuação da nossa abordagem holística à saúde e bem-estar, lançamos as fórmulas e suplementos holísticos Aman Skincare e Aman SVA. Também apresentamos uma linha de roupas Aman: atemporal, elegante e de alta qualidade com uma produção muito limitada.

F: Como você definiria os hotéis Aman em poucas palavras? Como você descreveria uma “experiência Aman”?

VD: Um destino Aman é aquele onde os hóspedes se sentem como se estivessem sendo entretidos na casa de um amigo generoso e acolhedor, e onde o hotel ou resort se mistura organicamente com seu entorno, criando uma sensação de paz e familiaridade.

Uma experiência Aman sempre oferece um serviço incomparável, esteja você no Amanpuri, em Phuket, ou no Amanjena, em Marrakech. O serviço Aman é incomparável por causa de nosso conceito de fornecer um santuário de paz e nossa proporção de equipe, que é de sete funcionários para cada hóspede.

F: Qual sua opinião sobre a indústria de viagens e bem-estar hoje?

VD: Essas indústrias se misturaram na maioria dos mercados. As pessoas trabalham muito e estão à beira do esgotamento. Elas precisam de um destino que lhes permita se desconectar, relaxar, consertar e recarregar as baterias. Decidi focar mais em nossa oferta de viagens e bem-estar, nossa abordagem é holística e, além de oferecer spas médicos em algumas de nossas propriedades, também expandimos para fórmulas e suplementos de cuidados com a pele e holísticos para que nossos clientes possam continuar a receber a experiência Aman e cuidar de seu bem-estar físico e espiritual em suas próprias casas.

Aman/Divulgação
Aman/Divulgação

Vladislav Doronin no hotel Aman Venice

F: Por que é tão importante que tantos destinos Aman estejam localizados dentro ou perto de locais de patrimônio da Unesco? O que isso fala sobre a marca Aman?

VD: Um local reconhecido como patrimônio da Unesco é uma garantia universalmente reconhecida de que uma região, cidade, área, monumento ou edifício é cultural ou historicamente especial o suficiente para ser protegido. A permissão da Aman para construir propriedades dentro ou perto desses locais significa que nossa marca tem a reputação de respeitar, honrar e preservar a natureza circundante, a cultura local e suas tradições. Onde outras marcas não teriam recebido permissão para um hotel, há um entendimento de que nossas propriedades e nossa equipe são os tutores e administradores desses destinos historicamente significativos.

LEIA TAMBÉM: Os destinos mais populares do mundo para lua de mel, segundo o Pinterest

Em 2023, planejamos abrir o Aman AlUla em um antigo local que data do século 2 a.C., em Hegra, na Arábia Saudita. Hegra é um dos locais históricos mais conhecidos e reconhecidos do país, com mais de 100 tumbas bem preservadas com fachadas elaboradas e arquitetura esculpida em mesas e montes de arenito. A paisagem é nítida e de uma beleza impressionante, me lembra do deserto ao redor de Amangiri em Utah, mas com esculturas arqueológicas decorativas bem conservadas cortadas nas laterais das estruturas, datando do século 1 a.C. ao século 1 d.C..

F: Você se concentrou muito em incluir um componente residencial para cada novo destino Aman. Por quê? E onde, no momento, os fãs da Aman podem comprar uma residência para eles?

VD: Há uma grande demanda de nossos clientes por propriedades gerenciadas de primeira qualidade que fazem parte de uma marca de hospitalidade de luxo bem estabelecida. O aspecto de gerenciamento é extremamente desejável, pois aumenta drasticamente o valor dessas propriedades e mantém a condição original.

A posição incomparável da Aman e a escassez desse tipo de residência tornam nosso produto ainda mais desejável. O proprietário da residência também pode optar por participar do programa de gestão hoteleira que gera receita de volta para ele, além de expandir o estoque de vilas dos hotéis –que têm uma demanda maior entre nossa base de clientes.

No Aman New York, além do hotel de 83 suítes, apenas 22 residências Aman privativas com serviço completo nos andares mais altos do edifício estão disponíveis. Essas residências incluem algumas das maiores casas novas em Manhattan e características cobiçadas em residências selecionadas, como piscinas privadas internas e externas, amplos terraços com vista para o Central Park e lareiras à lenha. O Aman New York incluirá o Aman Club exclusivo para membros, ao qual os residentes terão acesso. A maioria de nossas residências Aman New York já foram pré-vendidas, incluindo o Crown Penthouse, uma cobertura única de cinco andares, que inclui suas próprias piscinas internas e externas privadas e uma suíte de meditação.

F: O que há de tão especial no Aman New York e por que um indivíduo ou família escolheria comprar uma residência aqui em vez de em qualquer outro lugar de Manhattan?

VD: Esta é a primeira oportunidade de possuir uma residência Aman em uma grande cidade, com apenas 22 residências privadas com serviços completos. Localizadas no coração de Manhattan, na esquina da Fifth Avenue com a 57th Street, essas residências ocupam os andares mais altos do icônico edifício Crown, concluído em 1921 e um exemplo perfeito da arquitetura Beaux Arts. Essas residências incluem algumas das maiores casas modernas em Manhattan. Algumas das características altamente desejáveis ​​em residências selecionadas incluem piscinas privadas, terraços generosos com vista para o Central Park e cada quarto principal e sala de estar incluem uma lareira. Todos os proprietários de residências no Aman New York também se tornarão membros do exclusivo Aman Club. Os residentes do Aman New York também poderão usar o conjunto completo de amenidades oferecidas no hotel, incluindo um spa de 2.000 metros quadrados três andares e uma piscina coberta de 25 metros. As instalações de entretenimento incluem uma biblioteca de vinhos, um jazz bar subterrâneo, um clube privado de charutos e os restaurantes Arva e Nama (que servem jantares-conceito de comida italiana e japonesa).

Forbes: Qual é a data prevista para a abertura do Aman New York?

DV: A inauguração do Aman New York será na primavera norte-americana de 2021 e coincide com o aniversário de 100 anos do Crown Building, concluído em 1921 pelos arquitetos da Grand Central, Warren & Wetmore. Um fato pouco conhecido sobre o edifício Crown é que era a casa original do Museu de Arte Moderna.

F: Quais são os futuros locais do projeto nos EUA? Existem outras áreas nas quais você gostaria de expandir a Aman?

DV: Em breve, iniciaremos a construção do Aman Miami Beach. O projeto incluirá dois edifícios: a parte do hotel (projetada por Jean Michel Gathy) será construída dentro de uma estrutura histórica existente em Miami Beach. O segundo edifício, o Aman Miami Beach Residences, será projetado por Kengo Kuma.

F: Você tem um resort Aman favorito?

VD: Sempre me fazem essa pergunta, e sempre acho impossível escolher um filho favorito. Cada Aman é único e favorito por vários motivos. Minha primeira experiência com a Aman foi em Phuket, na Amanpuri, na década de 1990, quando era um comerciante de commodities de Hong Kong –minha primeira experiência com a marca Aman foi inesquecível por sua privacidade e por me permitir realmente desligar.

E TAMBÉM: Jay-Z lança a Monogram, marca de cannabis que oferece produtos premium

Alguns dos meus outros destinos favoritos da Aman são: alojamentos Amankora no Butão; Amanpulo nas Filipinas; Amanbagh em Rajasthan, Índia; Amanjiwo em Java, Indonésia; Amanjena em Marrakech, Marrocos; e Aman Tokyo. Eles são extremamente diferentes um do outro e refletem perfeitamente suas culturas locais e meio ambiente.

F: Qual é a sua parte favorita do mundo? E onde você gosta de recarregar as energias?

VD: Sinto-me muito confortável em Miami e estou sempre relaxado e em paz quando estou na água ou perto dela. Miami se tornou uma cidade sofisticada e um centro global. Tem ligações fantásticas com o resto do mundo através do aeroporto: você pode viajar para a América do Sul e Central, Europa e além, ou estar em Nova York em duas horas. Miami oferece ótima qualidade de vida com um clima fantástico e é uma cidade muito atraente para se morar por causa de seus benefícios fiscais.

Eu recarrego minhas energias com meditação, exercícios e tempo com minha família. Sempre adorei esportes, fiz artes marciais, squash e natação desde muito jovem. Agora o que mais adoro é o kitesurf. Posso fazer isso em Miami, mas adoro ir para o hotel Amanpulo, nas Filipinas. Nesta ilha particular existem dois quilômetros de areia branca na praia. Eu adoro kitesurf porque não há distrações. Estou longe da tela do celular por pelo menos duas horas e é o melhor exercício.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: