Inspirado na Armada Espanhola, iate Galeão é diferente de tudo o que você já viu

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Iate conceito Galeão por Steve Kozloff

Durante a pandemia da Covid-19, o designer norte-americano Steve Kozloff surpreendeu o mundo com seus barcos-conceito selvagens. Lançados aos poucos através de sua série “Goliath”, os designs tornaram-se cada vez mais incomuns. Os espectadores pensaram que o auge foi alcançado com o superiate Arctic Owl, mas o novo gigaiate Galeão pode ser o mais maluco de todos eles.

Inspirado nos barcos à vela da Armada Espanhola, o Galeão é um iate à vela diferente de qualquer outro. Enquanto a maioria das embarcações desse tipo está equipada com um número modesto de cabines para dormir, jantar e se divertir, o Galeão oferece instalações para 350 pessoas, além de duas piscinas, dois ‘rios lentos’, quadras completas para basquete, tênis e handebol, um parque flutuante e muito mais.

LEIA TAMBÉM: Tiaras raras e valiosas são a nova tendência do mercado de aluguel de moda

Descrito por Kozloff como um “navio de cruzeiro à vela”, o iate de oito conveses poderia ser usado como um navio comercial para até 200 convidados, mais 150 tripulantes e funcionários. Também poderia ser convertido em um navio semiprivado com até 20 residências particulares ou mantido inteiro por um único proprietário – o potencial de festa para este último está além da imaginação.

À primeira vista, o Galeão é uma encarnação muito moderna do século 21 de um cargueiro espanhol do século 16, com uma fachada imponente de vários deques e quatro mastros elevados que não são diferentes dos “galeões” originais.

Seus oito níveis têm muitas instalações que você esperaria encontrar em um navio de cruzeiro, em vez de um superiate, incluindo um centro esportivo com seis quadras, um café, um pub e um restaurante. Há até um parque para aqueles que desejam caminhar na natureza enquanto estão a bordo.

O deque superior arejado da popa oferece uma infinidade de espaços de relaxamento e entretenimento, incluindo um lounge, um bar sofisticado e uma piscina que pode ser coberta e transformada em um gazebo quando não estiver em uso. Um nível abaixo encontra-se mais espaço e outra piscina com o mesmo sistema de cobertura projetado por Kozloff que veda as piscinas para que não haja necessidade de drená-las em condições adversas, embora um iate como este seja improvável de ser visto rumo ao Ártico. No convés superior há dois “rios lentos” conectados por um toboágua.

Projetado para pessoas que amam brinquedos aquáticos, o Galeão é o lar de quatro garagens com espaço para seis botes, quatro submarinos, seis lanchas e 21 embarcações pessoais. Há também um prático sistema de lançamento e recuperação para as embarcações, além de dois guindastes traseiros para carregar e descarregar veículos recreativos.

VEJA MAIS: Conheça o Castelo Saint Andrews, do brasileiro Guilherme Paulus

Para quem prefere viajar pelo ar, há um hangar totalmente fechado de 418 m² com espaço para 10 helicópteros. Aeronaves adicionais podem ser mantidas na área de pouso.

Mas nem tudo é diversão e jogos. Um iate tão grande também precisa de muitas precauções de segurança, então o projetista incluiu 12 botes salva-vidas de queda livre com capacidade para até 30 pessoas cada.

O Galeão pode não agradar a todos, mas ele apresenta um conceito interessante e pode desencadear uma conversa sobre o potencial de incorporação da vela híbrida na indústria de cruzeiros mais ampla. Afinal, todos nós vimos o sucesso de iates a motor à vela, como o Black Pearl da Oceanco, mas o Galeão, se algum dia fosse feito, estaria em outra escala. Ela só precisa de um proprietário ou estaleiro corajoso o suficiente para encomendá-lo.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).