Rebeca Andrade leva ouro no salto, sua 2ª medalha em Tóquio

Lisi Niesner/Reuters
Lisi Niesner/Reuters

A ginasta se tornou a primeira brasileira da história a ter duas medalhas em uma mesma Olimpíada

Depois da prata no individual geral, a ginasta Rebeca Andrade conquistou a medalha de ouro na prova de salto dos Jogos Olímpicos de Tóquio hoje (1), se tornando a primeira brasileira com duas medalhas em uma mesma edição de Jogos.

Rebeca conseguiu a nota 15,083 de média, após 15,166 no primeiro salto e 15,000 no segundo. A medalha de prata ficou com a norte-americana Mykayla Skinner, que obteve 14,916, e o bronze com a sul-coreana Yeo Seojeong, com 14,733.

LEIA MAIS: Rebeca Andrade e Mayra Aguiar ganham medalhas históricas na Olimpíada de Tóquio

“Estou muito feliz, eu trabalhei bastante durante todo esse tempo. Não foram os meus melhores saltos, eu senti na hora, mas isso é da ginástica, é do esporte, tirei nota suficiente para me dar o primeiro lugar e estou muito feliz”, disse Rebeca em entrevista na televisão logo após a cerimônia do pódio.

A brasileira ainda disputa a final do solo amanhã (2). As duas medalhas de Rebeca em Tóquio foram as primeiras da ginástica artística feminina do Brasil em Jogos Olímpicos, em conquistas históricas para o país.

“Estou bombando nas redes sociais, a galera ficou bem feliz. Mas a minha cabeça está a mesma de quando eu saí do Brasil para vir competir, totalmente concentrada, sabendo as coisas que importam e o que eu preciso fazer, para depois pensar em tudo isso que está acontecendo”, disse Rebeca, segundo nota no site do Time Brasil.

“Eu dedico a conquista da medalha de ouro a todo mundo, mas, em especial, ao meu treinador, Francisco Porath. A gente trabalhou muito e era um dos aparelhos em que eu tinha mais chance, como vocês sabem. Eu fiquei muito satisfeita. Acho que fico mais feliz com a felicidade dele do que com a própria medalha”, acrescentou ela.

Rebeca, de 22 anos, passou por uma série de lesões antes de garantir sua classificação para Tóquio. Foram três cirurgias no joelho em quatro anos, a última em meados de 2019, após romper o ligamento cruzado anterior.

“Eu passei por muita coisa e coloquei esses Jogos como objetivo, mas o meu objetivo aqui era fazer o meu melhor, era brilhar, e eu acho que eu brilhei: consegui a nossa primeira medalha olímpica em ginástica artística feminina”, afirmou ela após garantir a prata no individual geral.

LEIA MAIS: 8 atletas mais jovens da Olimpíada de Tóquio

A prova de salto não contou com a presença da norte-americana Simone Biles, candidata a seis medalhas de ouro em Tóquio, que desistiu devido a problemas de saúde mental e crise de confiança. Ela deixou a prova por equipes logo após o primeiro salto, na última terça-feira (27), e não voltou mais a competir. (Com Reuters)


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).