Thiago Braz conquista medalha de bronze no salto com vara nos Jogos de Tóquio

 REUTERS/Aleksandra Szmigiel
REUTERS/Aleksandra Szmigiel

Segunda medalha de atletismo brasileiro em Tóquio, Braz conquistou bronze com a marca de 5,87 metros

O brasileiro Thiago Braz, medalhista de ouro no salto com vara na Rio 2016, conquistou o bronze na mesma prova hoje (3), nos Jogos Olímpicos de Tóquio, com a marca de 5,87 metros.

Após a Rio 2016, Braz passou por um período difícil, longe do pódio nos principais campeonatos, mas, de novo, sobe ao pódio olímpico.

LEIA MAIS: Alison dos Santos conquista bronze nos 400m com barreiras dos Jogos de Tóquio

“Essa é a medalha da resiliência. Nestes cinco anos nada foi fácil para mim, mas eu me superei, ganhei essa medalha e estou levando para o Brasil, com muito orgulho”, disse ele em entrevista na televisão após a prova.

Essa é a segunda medalha do atletismo brasileiro em Tóquio, após a conquista do bronze por Alison dos Santos na prova dos 400 m com barreiras.

O recordista mundial Mondo Duplantis, da Suécia, ficou com a medalha de ouro após saltar 6,02 metros em sua primeira tentativa.

Duplantis, de 21 anos, que terminou com a medalha de prata atrás do campeão mundial Sam Kendricks, dos Estados Unidos, em 2019, continua sendo o único homem a saltar mais de seis metros este ano. O bicampeão mundial Kendricks não disputou a prova em Tóquio devido a um teste positivo para Covid-19.

O norte-americano Chris Nilsen alcançou a marca de 5,97 metros, mas não conseguiu igualar Duplantis e ficou com a medalha de prata. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).