Morre Desmond Tutu, vencedor do Nobel da Paz que lutou contra o apartheid na África do Sul

Ao lado de Nelson Mandela, arcebispo lutou contra a segregação racial no país.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Ashraf Hendricks/Anadolu Agency/Getty Images
Ashraf Hendricks/Anadolu Agency/Getty Images

Desmond Tutu foi um dos principais nomes da luta contra a segregação racial na África do Sul

Acessibilidade


Morreu hoje (26), aos 90 anos, o arcebispo Desmond Tutu, vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 1984 por sua luta contra o Apartheid na África do Sul, seu país natal. Ao lado de Nelson Mandela, advogado e ex-presidente da África do Sul, foi um dos principais nomes a atuar contra a política de segregação racial adotada no país entre 1948 e 1994.

“O falecimento do arcebispo emérito Desmond Tutu é outro capítulo de luto na despedida de nossa nação a uma geração de destacados sul-africanos que nos legou uma África do Sul libertada”, afirmou em nota oficial Cyril Ramaphosa, atual presidente da África do Sul. “Desmond Tutu era um patriota sem igual; um líder de princípios e pragmatismo que deu sentido à compreensão bíblica de que a fé sem obras está morta.”

LEIA TAMBÉM: Rainha Elizabeth faz homenagem a príncipe Philip em tradicional mensagem de Natal

No final dos anos 1990, Tutu foi diagnosticado com câncer de próstata e, mais recentemente, foi hospitalizado algumas vezes para tratar infecções causadas pela doença. Uma causa da morte oficial ainda não foi divulgada.

“Suas contribuições para as lutas contra a injustiça, local e globalmente, são comparadas apenas pela profundidade de seu pensamento sobre a construção de futuros libertadores para as sociedades humanas. Ele era um ser humano extraordinário. Um pensador. Um líder. Um pastor. Nossos pensamentos estão com sua família e amigos neste momento mais difícil”, afirmou a Fundação Nelson Mandela, organização sem fins lucrativos fundada por Mandela em 1999, sobre a morte do vencedor do Nobel da Paz .

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: