Mansão de R$ 300 milhões pode ser a mais cara já vendida em bitcoin nos EUA

Localizada na exclusiva área de bilionários de Miami, propriedade é bem isolada e tem 5 mil m².

Peter Lane Taylor
Compartilhe esta publicação:
Todd Michael Glaser/Dina Goldentayer
Todd Michael Glaser/Dina Goldentayer

Mansão fica na Indian Creek Island, em Miami, conhecida como o “bunker dos bilionários”

Acessibilidade


Por cerca de 1.903 bitcoins, Ivanka Trump, o cantor espanhol Julio Iglesias, o investidor bilionário Carl Icahn e dezenas de outras estrelas e titãs da indústria podem em breve ser seus vizinhos no endereço mais cobiçado de Miami.

Localmente conhecida como “Billionaire Bunker” (ou “bunker dos bilionários”, em português), a Indian Creek Island em Biscayne Bay, na parte de trás de Miami Beach é, em quase todos os aspectos, a área residencial mais exclusiva, segura e cheia de celebridades dos Estados Unidos (desculpem, Hamptons e Palo Alto). Se tivesse seu próprio CEP, seria o mais caro também, com a maioria das propriedades sendo negociadas atualmente por mais de US$ 40 milhões (R$ 205 milhões).

Leia mais: Mansão de Gianni Versace em NY está à venda por R$ 359 milhões

“Indian Creek é o equivalente a St. Jean Cap Ferrat no sul da França ou Field Point Circle em Greenwich, Connecticut”, diz Dina Goldentayer, da Douglas Elliman. “Qualquer endereço aqui é de verdadeira riqueza, sucesso e exclusividade.”

Para os atuais 40 moradores de Indian Creek Island – muitos dos quais já pagam milhões anualmente por privacidade e segurança em todos os outros lugares –, é exatamente assim que eles gostam.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A ilha de aproximadamente 120 hectares é acessível apenas por uma ponte fechada de duas pistas, policiada por guardas armados. Ela também mantém sua própria força policial de 13 pessoas e uma patrulha marinha para afastar os turistas e paparazzi que leem matérias como esta e acham que esta é a melhor chance de ter um vislumbre de Tom Brady e Gisele Bündchen, que recentemente gastaram US$ 17 milhões (R$ 87,5 milhões) em uma propriedade na ilha.

O Indian Creek Country Club, cujo campo de golfe projetado por William Flynn tem menos membros do que o Augusta National, também ocupa todo o centro da ilha, garantindo que nenhum novo empreendimento possa ser construído e a exclusividade seja garantida.

Apesar do preço já alto de Indian Creek para privacidade, a mais nova listagem da ilha, o número 37 da Indian Creek Island Road, está prestes a estabelecer um patamar ainda mais alto, atingindo o mercado em US$ 59 milhões (R$ 303 milhões) esta semana. E dado o atual mercado imobiliário de luxo de Miami, há uma boa chance de que ela seja negociada por ainda mais do que isso.

Todd Michael Glaser/Dina Goldentayer

A mansão está sendo construída pelo icônico desenvolvedor de Miami Beach, Todd Michael Glaser, e três sócios. Os quatro compraram a propriedade no verão passado do lendário apresentador Mario Luis Kreutzberger Blumenfeld, também conhecido como “Don Francisco”, por US$ 24 milhões (R$ 123 milhões) em um acordo particular, que também foi representado por Goldentayer, da Elliman.

Leia mais: Mansão em Beverly Hills está à venda por US$ 65 milhões – e pode ser paga em bitcoins

Após o fechamento do negócio, o grupo prontamente anunciou planos para demolir a casa de 1987 de Blumenfeld e substituí-la por algo mais condizente com um bilionário moderno de bitcoin, procurando uma propriedade à sua altura.

Todd Michael Glaser/Dina Goldentayer

“Estou sempre procurando oportunidades e propriedades troféus onde eu possa construir”, diz Glaser sobre a oportunidade de projetar algo em Indian Creek pela primeira vez. “Quando Dina me mostrou esta propriedade, eu sabia que poderia criar algo especial aqui.”

A mansão de Glaser se estende por quase 1.480 metros quadrados de vidro, madeira e concreto em um terreno de 5 mil metros quadrados. A arquitetura e os interiores são da lendária designer de casas de luxo de Miami, Kobi Karp.

Os tetos de 3,5 metros do piso principal abrigarão uma sala social, cozinha, uma sala de mídia, uma academia completa e estúdio de exercícios, enquanto o quintal à beira-mar tem 40 metros de frente para a baía, doca para iates, um amplo deck e uma piscina de borda infinita com camas de bronzeamento perfeitamente posicionadas para observar o nascer e o pôr do sol.

Todd Michael Glaser/Dina Goldentayer

Na lógica por trás da aceitação do bitcoin como moeda formal para a propriedade, Glaser é curto e grosso. “Se a Gucci aceita bitcoin, então Todd Michael Glaser também.”

Goldentayer, no entanto, é um pouco mais otimista quanto ao potencial de longo prazo para o espaço onde as criptomoedas e os imóveis de luxo se encontram. “O número 37 da Indian Creek será a transação criptográfica de mais alto perfil desse tipo nos Estados Unidos se for vendida em bitcoin por causa de onde está localizada”, ela me diz.

Leia mais: Propriedade mais cara da história do Havaí custa R$ 157 milhões

“O recorde atual é de uma cobertura mais baixa na Arte Surfside que aceitou criptomoedas por uma transação de US$ 22,5 milhões (R$ 115 milhões) em 2020. Isso significa que, à medida que mais métodos de conversão de criptomoedas se popularizam e os vendedores ficam mais confortáveis ​​com o processo, essa propriedade pode mudar todo o jogo em Miami e além.”

Quanto ao comprador, diz Goldentayer, ele precisa ser paciente, pois a casa levará entre 16 e 18 meses para ser concluída.

Todd Michael Glaser/Dina Goldentayer

“Como a casa tem um tamanho enorme, posso imaginar uma grande família ou um solteiro de tecnologia com uma comitiva sendo atraídos para este enclave privado. Também vou atrás do comprador que ama a arquitetura moderna, já que o design de Kobi Karp é a personificação do movimento modernista de ultraluxo de Miami.”

Sobre o design moderno e as comodidades essenciais da propriedade, Glaser concorda que não havia outro caminho a seguir, dada a localização e a clientela potencial: “Construo casas de luxo há mais de 20 anos aqui. Moderno sempre foi minha preferência em Miami Beach. Vende. Desta vez não será diferente.”

A maior questão agora é se Indian Creek, número 37 vai vender em blockchain ou à moda antiga. As implicações disso para o setor imobiliário são muito maiores do que Tom e Gisele têm para seus próximos vizinhos.

Compartilhe esta publicação: