Airbnb proíbe festas nas hospedagens da plataforma

Antes uma restrição temporária, a plataforma de aluguel decidiu implementar permanentemente a proibição

Suzanne Rowan Kelleher
Compartilhe esta publicação:
Kelsey Knight/Unsplash
Kelsey Knight/Unsplash

Banimento de festas nas hospedagens do Airbnb aconteceu temporariamente em 2019

Acessibilidade


A festa acabou para os locatários do Airbnb. A empresa está tornando sua proibição global de festas uma política permanente, implementando uma restrição temporária de quase dois anos atrás.

O Airbnb anunciou que está banindo “festas e eventos disruptivos”, incluindo reuniões abertas. As opções de “casa de festa” continuarão sendo “estritamente proibidas”, com “sérias consequências” para os hóspedes que violarem as regras.

Leia mais: Airbnb cria fundo milionário para construção de casas inusitadas

As ações punitivas podem variar desde a suspensão da conta até a remoção total da plataforma. No ano passado, o Airbnb suspendeu mais de 6.600 hóspedes por violarem a regra.

“Acreditamos que há uma correlação direta entre nossa implementação da política em agosto de 2020 e uma queda de 44% ano a ano na taxa de festas reportadas”, segundo um comunicado. A plataforma de aluguel convida as pessoas a denunciarem festas nas propriedades da plataforma em sua área por meio de uma linha de apoio do bairro.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Foi em 2019 que o Airbnb lançou uma proibição temporária de casas de festas, depois que cinco pessoas foram mortas em um tiroteio em uma de suas hospedagens listadas. No ano seguinte, a empresa implementou uma proibição global quando a pandemia começou.

Outras plataformas de aluguel por temporada de curto prazo, como a Vrbo, de propriedade da Expedia, têm políticas semelhantes para conter festas grandes e barulhentas. “Se um viajante hospedar um evento não autorizado ou que incomode os vizinhos, podemos proibi-lo de alugar novamente”, afirma sua política. “Se um evento em casa se tornar um incômodo e um proprietário ou gerente tiver autorizado, avaliaremos e tomaremos as medidas apropriadas, que podem incluir a remoção do site.”

Em uma demonstração de como as plataformas de aluguel levam a sério as festas não autorizadas, no ano passado o Airbnb formou uma parceria com a Vrbo para compartilhar informações sobre ofensores reincidentes de “festas domiciliares” nos Estados Unidos.

Leia mais: Fundadores do Airbnb venderam mais de US$ 1 bilhão em ações em 2021

A Vacasa, uma empresa de gerenciamento de aluguel por temporada cujas propriedades podem acabar no Airbnb, Vrbo e outras plataformas, incentiva os proprietários de imóveis a investirem em um monitor de ruído. “Os sistemas de monitoramento de ruído são dispositivos discretos e eficientes, construídos com a privacidade dos hóspedes em mente”, de acordo com o site da plataforma. “Se os níveis de ruído sustentados dentro do seu aluguel de temporada atingirem níveis acima do aceitável, ele informará a você ou ao seu gerente se algo está errado. É uma maneira fácil de manter o controle sobre seus hóspedes (e manter os vizinhos felizes).”

À medida que milhões de pessoas mudaram para o trabalho remoto durante a pandemia, o Airbnb viu sua fortuna aumentar, à medida que os viajantes começaram a reservar estadias mais frequentes e longas. No primeiro trimestre de 2022, a empresa registrou um recorde de 102 milhões de noites e experiências e registrou receita de US$ 1,5 bilhão, um aumento de 70% em relação aos primeiros três meses do ano passado.

Para locatários de férias que planejam grandes reuniões no verão, o último anúncio do Airbnb incluiu uma boa notícia: a empresa está tirando o limite de ocupação de 16 pessoas imposto no verão de 2020, antes que as vacinas Covid-19 estivessem disponíveis.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: