O que fazer em Lisboa: insider dá dicas valiosas da cidade

Veja sugestões de passeios e bairros imperdíveis para viver a capital portuguesa como um local

Lea Lane
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Lisboa, em Portugal, está cada vez mais chamando atenção dos turistas

Acessibilidade


Portugal tornou-se o queridinho dos viajantes, e Jayme Simons, que já foi consultor de marketing para o país, sabe praticamente tudo o que ver e fazer por lá. Falamos com ele recentemente, principalmente sobre a zona de Lisboa. Confira a seguir:

Forbes: Quais qualidades tornam Portugal tão especial?

Jayme: Portugal é, na verdade, o país mais antigo da Europa em termos de existência dentro de suas fronteiras atuais. Mas o que realmente o torna maravilhoso são as pessoas: acolhedoras, amáveis, simpáticas. 

E é um clima Cachinhos Dourados: nem muito frio no inverno, nem muito quente no verão, não chove muito no sul. As pessoas, a topografia, a cultura, a gastronomia tornam Portugal especial.

Leia mais: Guia traz roteiro para 24 horas em Lisboa

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

F: Então vamos nos concentrar em Lisboa, a cidade costeira montanhosa em tons pastel.

J: As pessoas vivem em Lisboa desde a antiguidade. O nome “Lisboa” significa “cidade de Ulisses” porque, segundo os romanos, foi fundada por ele. Aliás, se você estiver no centro da cidade e andando pela Rua Augusta, pode fazer reserva com antecedência e visitar alguns prédios. À medida que se aproxima do rio, ficam edifícios construídos após o terremoto de 1755.

Getty Images
Getty Images

A capital portuguesa tem várias ruas cheias de cor

Mas a cidade em si, como vemos hoje, é principalmente pós-1755, quando o grande terremoto, incêndio e inundação danificaram ou destruíram grandes porções da capital. O que surgiu foi uma cidade que parece grande, imperial, rica e comemorativa. Mas até cerca de 30 anos atrás, havia passado por tempos difíceis, e muitos belos edifícios foram abandonados ou caíram em desuso.

Lisboa passou por uma incrível revitalização. Pessoas de todo o mundo compraram prédios em ruínas, mas bonitos, e os transformaram. Portanto, a cidade tem uma grandeza que provavelmente não via desde o século 19. Está bombando hoje.

Há novos restaurantes, novos museus, novos hotéis e novas coisas para fazer. De certa forma, sinto falta da velha Lisboa. Era um pouco esfarrapada, antiga capital imperial. Hoje é uma cidade multiétnica, divertida, próspera com aventuras e produtos: do seu bairro medieval ao bairro mouro e seu fantástico bairro de Belém com monumentos do século 16, da época da exploração portuguesa.

Leia mais: Novo hotel em palácio de Lisboa é uma “experiência de vinho”

Edifícios coloridos subindo encostas, seu belo rio vasto, os telhados de telhas vermelhas, as igrejas maravilhosas, seus bondes amarelos – muito de Lisboa dá a sensação de que não há nada igual na face da Terra.

F: Quem está fazendo um cruzeiro geralmente tem um só dia em Lisboa. Conte-nos algumas coisas que você absolutamente não deve perder?

J: Eu quase diria para jogar fora o guia e não atingir os pontos populares. Todos vão ver o Mosteiro dos Jerónimos, mas provavelmente precisará esperar uma hora na fila para entrar. Tente chegar a alguns dos locais menos conhecidos de Lisboa.

Caminhe e visite o Convento do Carmo, uma bela igreja construída pelo santo Condestável, Nuno Álvares Pereira, no século 14. Seu telhado desabou no terremoto e é realmente o único lugar onde você pode ver o poder e o horror daquele dia 1º de novembro de 1755. 

Getty Images
Getty Images

Convento do Carmo

Há um parque maravilhoso não muito longe dali, o Jardim São Pedro de Alcântara, com vistas deslumbrantes da cidade. A maioria dos turistas não conhece. Você pode ver o castelo na colina logo em frente. E não fica longe da maravilhosa igreja de São Roque, dada ao rei de Portugal pelo Papa, uma igreja barroca com uma capela que tem um incrível mármore azul lápis-lazúli.

As pessoas pegam bondinhos, e eles certamente eles são divertidos. Mas por alguns euros você pode atravessar o rio Tejo de balsa para os cassinos do outro lado e ter vistas estupendas da cidade. Há um porto histórico que você pode visitar e uma estátua de Cristo em Sua Majestade.

F: E a comida?

J: A comida portuguesa é fantástica, mas encontre um restaurante goês. Goa foi uma cidade portuguesa na Índia durante 450 anos, e a comida que ali surgiu é diferente do resto da Índia. É uma combinação muito legal de ideias portuguesas e técnicas indianas. Vindalho é um desses pratos. Vários restaurantes oferecem comida goesa na zona histórica de Lisboa.

Leia mais: Os 15 bairros mais legais do planeta

F: À noite, os locais vão às casas de fado. Conte-nos sobre o fado.

J: É música tradicional portuguesa; alguns o comparam ao flamenco, mas acho que isso é injusto para ambos. Acreditamos que a origem do fado remonta à Idade Média e à poesia provençal, mas teve um período áureo por volta da guerra civil portuguesa em meados do século 19.

Hoje o fado encontrou uma nova alma e uma nova geração de jovens cantores. Eu diria que olhe mais para as zonas da Mouraria e Alfama do que para o Bairro Alto. Vá para as casas de fado que são para os locais, como o Café Luso, onde qualquer pessoa pode entrar e cantar canções de fado. É catártico.

As pessoas descrevem essas músicas como tristes, mas não são. Sim, há perda e saudade e relacionamentos esfarrapados, mas há uma certa capacidade de limpar sua alma com a tristeza dessa música, de fazer você realmente se sentir bem. Então, quando os portugueses vão ouvir fado, isso faz com que se sintam melhor.

F: Parece o blues.

J: Muito boa comparação. Regra número um: quanto mais tarde você for, melhor será a música. Regra número dois: “Fique quieto, vamos cantar o fado”. Isso é um sinal de respeito à pessoa que canta. Vá ouvir o verdadeiro fado, ouvir a alma de Portugal exposta em toda a sua beleza.

F: Agora, a oeste de Lisboa está uma região costeira afluente, chamada por alguns de Riviera Portuguesa. O que não devemos perder por lá?

J: Você tem um serviço ferroviário muito bom que o levará a Cascais e a Sintra. Estes são destaques para muitos que visitam Lisboa.

Vamos colocar Sintra no topo da lista. Existem dois palácios: um medieval, outro do final do século 19, meio luso-vitoriano. Há um antigo Castelo dos Mouros e palácios que pertencem à nobreza, porque o porto, o rei e a rainha estavam lá. Então é uma cidade realmente linda: muitos monumentos, boa comida e ótimos restaurantes. Muito chique também, com um clima muito legal. Por isso, mesmo no verão, quando está quente, Sintra estará sempre 10 graus mais fria do que Lisboa. 

Getty Images
Getty Images

Palácio Nacional da Pena, em Sintra

Leia mais: As 22 praias mais bonitas da Europa para aproveitar neste verão

F: Acho que é o sonho de um instagrammer, uma área de conto de fadas.

J: É. Mas chegue cedo: os palácios atraem multidões. Você pode então descer até Colares, que tem uma adega maravilhosa e ótimos restaurantes, e terminar no Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa continental, com falésias espetaculares.

Getty Images
Getty Images

Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa continental

Você pode descer a costa, que tem praias, surf e restaurantes caros à beira-mar, e acabar em Cascais e Estoril – que, novamente, é o que as pessoas costumam dizer que é a Riviera Portuguesa.

Eram vilas de pescadores, mas, no século 19, reis e rainhas achavam que era um bom lugar para se viver. Portanto, há uma arquitetura espetacular, museus maravilhosos, restaurantes chiques ao longo do oceano. Estes são acessíveis para os padrões europeus, caros para os padrões portugueses: um bom lugar para passar o dia, especialmente se estiver ensolarado. 

Getty Images
Getty Images

Cascais

Tantas coisas para descobrir, lugares para passear e ótimas lojas de azulejos e antiguidades, sapatos de alta qualidade e roupas muito bonitas.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: