OMS endurece diretrizes de uso de máscaras em áreas com Covid-19

Pessoas deveriam usar máscaras sempre em lojas, ambientes de trabalho e escolas que não têm ventilação adequada.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Reuters/Guglielmo Mangiapane
Reuters/Guglielmo Mangiapane

OMS volta a endurecer diretrizes sobre uso de máscaras em locais sem ventilação e onde não é possível manter distanciamento.

Acessibilidade


Pessoas que moram em áreas nas quais a Covid-19 está se disseminando deveriam usar máscaras sempre em lojas, ambientes de trabalho e escolas que não têm ventilação adequada, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) hoje (2).

Se não puderem manter distância física de ao menos um metro, as pessoas nestes locais fechados – inclusive crianças e alunos de 12 anos ou mais – também deveriam usar máscaras mesmo que os espaços sejam bem ventilados, disse a entidade em um endurecimento das diretrizes.

LEIA TAMBÉM: Vacinação contra Covid-19 no Brasil terá quatro fases

Elas também deveriam usar máscaras do lado de fora se não for possível manter o distanciamento físico, acrescentou.

A porta-voz da OMS, Margaret Harris, disse que as recomendações estão entre as maiores mudanças em sua orientação sobre o uso de máscaras e os conselhos atualizados desde junho.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Se em locais fechados, a menos que a ventilação tenha sido avaliada como adequada, a OMS aconselha o público geral a usar máscaras não-cirúrgicas, independentemente de se poder manter um distanciamento físico de ao menos um metro”, disse a OMS, que ainda aconselhou o “uso universal de máscaras” em todas as instalações de saúde, inclusive em áreas comuns, como cafeterias e salas de funcionários. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: