Ministério da Saúde assegura mais 54 mi de doses da vacina Coronavac

Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

O Ministério da Saúde distribuirá aos Estados, ao longo do ano até setembro, 100 milhões de doses da vacina

O Ministério da Saúde informou hoje (16) que assegurou mais 54 milhões de doses da vacina Coronavac contra a Covid-19, conforme contrato assinado ontem (15) pelo Instituto Butantan.

De acordo com nota da pasta, essas doses somam-se a outras 46 milhões desse imunizante já contratadas, o que permitirá distribuir aos Estados, ao longo do ano até setembro, 100 milhões de unidades da vacina.

LEIA MAIS: OMS aprova vacina da AstraZeneca/Oxford para uso emergencial

“Enviamos o contrato na quinta-feira passada (11) e trabalhamos no ministério todo o final de semana, e sem feriado também, esperando o contrato assinado”, informou o secretário executivo, Elcio Franco, de acordo com a nota.

Além da Coronavac, o Brasil receberá até dezembro mais 42,5 milhões de doses de vacinas fornecidas pelo Consórcio Covax Facility. Outro fornecedor de imunizantes contra o novo coronavírus é a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com quem estão contratadas mais 222,4 milhões de doses que começaram a ser entregues mês passado, segundo a pasta.

O ministério informa ainda que deverá assinar nos próximos dias contratos de compra com a União Química, que deverá entregar 10 milhões de doses da vacina Sputnik V, entre março e maio. Fará o mesmo com a Precisa Medicamentos, que poderá trazer no mesmo período ao país mais 30 milhões de doses da Covaxin. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).